Profissionais de saúde de Jaguariúna vão ensinar mudanças no estilo de vida para a população - Diabetes, Vida e Comunidade

Profissionais de saúde de Jaguariúna vão ensinar mudanças no estilo de vida para a população

23/07/2016 - CBN


Entre as doenças crônicas mais recorrentes na população brasileira estão a hipertensão arterial, a diabetes, colesterol alto, asma doenças cardiovasculares e problemas crônicos de coluna. Todas elas têm ligação direta com o estilo de vida: pouco movimento, alto índice de estresse e má alimentação.

Na cidade de Jaguariúna, no interior de São Paulo, os profissionais de saúde agora têm mais uma missão: levar informação sobre importância de atividade física e dos cuidados com a alimentação.

Eles estão realizando cursos de capacitação para abordarem esses temas da melhor forma durante consultas e atendimentos.

O preparador físico e idealizador do projeto Vida de Saúde, Márcio Atalla, acredita que é importante conscientizar os profissionais que estão no contato direto com a população e que já têm uma abertura para falar sobre mudanças de hábito.

''Quando você tem essa medicina secundária mal feita, esse cara vai acabar na medicina terciária que é o hospital. Então, esse agente de saúde estar bem preparado para dizer que parte do tratamento não é só o remédio, é também o estilo de vida é fundamental para ter uma medicina secundária mais eficiente", diz Atalla.

Luciana Bocardo é enfermeira de uma Unidade Básica de Saúde na cidade e diz que percebe o aumento no número de pacientes com problemas crônicos, como hipertensão e diabetes, nos últimos anos.

"É notável o crescimento das doenças crônicas. O número de pacientes especialmente com hipertensão e diabetes vem crescendo. E são doenças que têm a possibilidade de reversão do quadro de comorbidade com as mudanças de estilo de vida", explica Luciana.

Cada unidade também vai escolher um dia na semana para realizar atividades externas, em parques ou praças. A intenção é mostrar, na prática, o efeito das atividades físicas na saúde, como explica Luciana:

"A gente tem aqueles pacientes que vem com uma frequência para fazer as aferições de glicemia ou pressão arterial. Nesse dia a gente vai combinar de se encontrar nos parques. Por exemplo, aqui perto da Unidade tem um parque maravilhoso ao lado. Então nesse dia, os funcionários da UBS vão estar atendendo no parque. Nós vamos fazer a verificação dos sinais vitais lá e vamos sair para uma caminhada. E vamos verificar de novo essa pressão, mostrando ao paciente que o exercício fez um bem à ele".

O enfermeiro Cinacks Correia trabalha em uma UPA e já começou a fazer algumas intervenções com os pacientes. Ele conta que, muitas vezes, as pessoas querem controlar doenças crônicas apenas tomando remédios e esquecendo a influência do estilo de vida no resultado dos exames.

''Às vezes o paciente vai na UBS, vê que a pressão está boa e fica tranquilo. Aí quando a pressão sobre, ele fica preocupado e toma um remédio, melhora e depois acha que está tudo bem. Há pacientes que tomam uma bateria de medicamentos e a pressão está alta, o colesterol está altíssimo. E não por falta de medicamento, é o estilo de vida que não está agregado com o tratamento" , diz Correia.

Além dos enfermeiros, técnicos de enfermagem e médicos de hospitais, UPAs e nas unidades básicas de saúde também estão participando das capacitações.

A Comunidade DiabeteNet.Com.Br tem como finalidade informar e interagir com os seus usuários. Antes de qualquer decisão ou atitude, é indispensavel a discussão sobre os pontos aqui abordados juntamente com médicos de sua confiança.

Dê sua opinião sobre este conteúdo

Nuvem de tags deste conteúdo

Comentários sobre este conteúdo

Seja o primeiro a comentar este conteúdo!

Cadastre seu comentário!


Surgyplast


Noticias
  • Pesquisa
  • Associe-se
  • Fórum

Acompanhe nosso arquivo de conteúdo:

» « Novembro - 2017
D S T Q Q S S
   1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

© Copyright 1997-2017 - e.Mix

As informações apresentadas a você pelo DiabeteNet contém informações gerais.
Nenhuma informação deve ser interpretada como tratamento, diagnósticos, conselhos médicos e não deve substituir a orientação do seu Médico.