Células do Sangue do Cordão Umbilical podem travar Diabetes Tipo 1<br> - Diabetes, Vida e Comunidade

Células do Sangue do Cordão Umbilical podem travar Diabetes Tipo 1

16/05/2017 - http://www.maisalgarve.pt/rubricas/consultorio-medico/7073-c


Um grupo de investigadores pretende iniciar um ensaio clínico para comprovar a segurança e eficácia da utilização de células T reguladoras (células específicas do sistema imunitário), expandidas a partir de sangue do cordão umbilical, como potencial tratamento preventivo e, eventualmente, curativo da Diabetes Tipo 1.

A intenção surge após resultados favoráveis obtidos num estudo piloto em 15 crianças diagnosticadas com Diabetes Tipo 1, infundidas com o próprio sangue do seu cordão umbilical, um procedimento totalmente seguro e que demonstrou um efeito favorável na progressão da doença, apesar de as crianças terem continuado dependentes da administração de insulina. Os investigadores pretendem, agora, avaliar a segurança e eficácia da administração de células T reguladoras, extraídas a partir de sangue do cordão umbilical previamente criopreservado, enquanto terapia celular capaz de equilibrar o sistema imunitário e suprimir a destruição das células produtoras de insulina.

"Na continuidade do ensaio piloto, um estudo mais recente indica que é possível gerar e expandir em quantidade suficiente de células T reguladoras, sem que percam as suas características originais. A administração destas células, provenientes do sangue do cordão umbilical, numa fase precoce da doença, poderá impedir a progressão da Diabetes Tipo 1 e tornar os pacientes livres da administração de insulina. Os resultados positivos da investigação revelam o potencial das células T reguladoras, que têm a capacidade de regular a resposta autoimune característica da Diabetes Tipo 1, podendo significar uma verdadeira revolução terapêutica", explica Bruna Moreira, Investigadora na área das células estaminais.

A Diabetes Tipo 1 é uma doença autoimune, causada pela destruição de células β do pâncreas, produtoras de insulina. Esta destruição conduz ao défice permanente de insulina no organismo, deixando os pacientes cronicamente dependentes da administração de insulina, que apenas melhora os sintomas, não curando a doença. Para tratar a Diabetes Tipo 1 é necessário parar a destruição das células produtoras de insulina e promover a sobrevivência e ativação destas células.

Em 2015, segundo dados do Sistema Nacional de Saúde, a Diabetes Tipo 1 atingiu 3.327 indivíduos com idades entre os 0-19 anos, o que corresponde a 0,16% da população portuguesa neste escalão etário, número que se tem mantido estável nos últimos anos.
A Comunidade DiabeteNet.Com.Br tem como finalidade informar e interagir com os seus usuários. Antes de qualquer decisão ou atitude, é indispensavel a discussão sobre os pontos aqui abordados juntamente com médicos de sua confiança.

Dê sua opinião sobre este conteúdo

Nuvem de tags deste conteúdo

Comentários sobre este conteúdo

  • blsojery
    12/06/2017 - 06:27

    4111111111111111

Cadastre seu comentário!


Surgyplast


Noticias
  • Pesquisa
  • Associe-se
  • Fórum

Acompanhe nosso arquivo de conteúdo:

» « Novembro - 2017
D S T Q Q S S
   1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

© Copyright 1997-2017 - e.Mix

As informações apresentadas a você pelo DiabeteNet contém informações gerais.
Nenhuma informação deve ser interpretada como tratamento, diagnósticos, conselhos médicos e não deve substituir a orientação do seu Médico.