Dr. Marcelo Perosa - Diabetes, Vida e Comunidade

Dr. Marcelo Perosa

12/11/2002 - Comunidade DiabeteNet.Com.Br.


Em entrevista ao Diabetenet, o Dr.Marcelo Perosa de Miranda, cirurgião de transplantes de fígado e pancrêas do Hospital Beneficiência Portuguesa, do Hospital Albert Einstein e Hospital São Camilo, fala sobre sua participação no Congresso Internacional de Transplantes em Miami e sobre o período que esteve no Centro de Transplantes de Pancrêas em Maryland.

DiabeteNet: Quais as novidades sobre Transplantes de Pancrêas apresentadas no Congresso de Miami, ocorrido recentemente?
Dr.MP: Acho que as principais referem-se à técnica da drenagem portal e , no tocante à imunossupressão, protocolo de retirada de corticóides.

DiabeteNet: Houve alguma evolução nas técnicas-cirurgicas utilizadas no Transplante de Pancrêas?
Dr.MP: Sim. Em primeiro lugar, utiliza-se, cada vez mais, a drenagem exócrina para o intestino ao invés da bexiga, principalmente nos transplantes duplos. A vantagem da drenagem para o intestino é ser mais fisiológica, isto é, a secreção pancreática normalmente drena para o trato intestinal e não para a bexiga. Esta técnica permite a reabsorção do bicarbonato e das enzimas pancreáticas, evitando sua descarga na bexiga do receptor. Com isso, evita-se a acidose (comumente observada nas drenagens para a bexiga), dispensa-se a necessidade de tomar bicarbonato via oral após o transplante, evitando-se também as complicações genito-urinárias da drenagem vesical (sangramento na urina, uretrites, infecções urinárias de repetição, vaginites, etc). Porém, nos transplantes isolados de pâncreas, como não há o rim para monitorizar a rejeição, o sucesso obtido ainda é maior usando-se a drenagem para a bexiga, pois esta técnica permite mensurar a amilase urinária , grande marcador da rejeição pancreática. Portanto, em linhas gerais, para os transplantes duplos, a preferência recai sobre a drenagem intestinal; para os transplantes de pâncreas isolados e após rim, a preferência continua sendo a drenagem vesical.

Outro aspecto interessante é a drenagem venosa do pâncreas para o sistema porta. Na maioria dos casos, coloca-se o pâncreas com sua veia nos vasos ilíacos do receptor(FIGURA 1). Isto faz com que toda insulina seja descarregada diretamente na circulação sistêmica e circule diretamente para o coração. Este estado gera excesso de insulina na circulação. Aventam-se certos malefícios ( ainda não provados ) deste excesso de insulina na circulação, como, por exemplo, a aterosclerose precoce. Uma técnica mais recente coloca o pâncreas com a drenagem venosa no sistema porta (FIGURA 2) isto é, veia que drena para o fígado e não para a circulação sistêmica. Este estado é mais fisiológico, imita o pâncreas original, onde toda a insulina é drenada para o fígado e este funciona como filtro, impedindo que toda a insulina secretada chegue até a circulação , mas apenas o suficiente para manter a glicemia.

Todavia , não há ainda comprovação de superioridade de uma técnica sobre a outra.




DiabeteNet: Com relação a imunossupressão utilizada nos Transplantes de Pancrêas, foi apresentado alguma novidade?
Dr.MP: O mais utilizado tem sido protocolos específicos de retirada de corticóides. Estes vêm ganhando grande popularidade no transplante de pâncreas e evitam os efeitos colaterais destas drogas a longo prazo.

Outro aspecto sensacional vem sendo iniciado no grupo de Pittsburgh, que é a tentativa da suspensão completa da imunossupressão para todos os tipos de transplante. Em até 50% dos casos testados eles estão conseguindo reduzir significativamente ou até suspender a imunossupressão por completo alguns meses após o transplante. Esta é uma grande porta de esperança para os transplantes sem imunossupressão daqui a algum tempo.


DiabeteNet: Quanto ao Transplante de Ilhotas, o que há de novo?
Dr.MP: Após 2 anos de início do Protocolo Edmonton, o entusiasmo com as Ilhotas continuam, com resultados de 85% de sucesso em 1 ano e 70% após 2 anos, obtendo-se insulino-independência. Porém, em conversas diretas com os grupos, eles acham que o resultado das Ilhotas , se analisado friamente e com muito rigor, deve estar situando-se em torno de 50%. Em outras palavras, o entusiasmo continua, mas há ainda muito o que se progredir para alcançar o sucesso do transplante de ilhotas.

DiabeteNet: Como está atualmente o Brasil em relação a outros paises que realizam o Transplante de Pancrêas?
Dr.MP: O Brasil está numa posição de destaque em atividade de transplante de pâncreas. Já faz mais transplantes do que qualquer país da Europa. Este ano deve completar a marca de 200 transplantes pancreáticos, perdendo apenas para os Estados Unidos, que realizam cerca de 1400/ano.

DiabeteNet: Como o Sr. Avalia o periodo em que esteve no Centro de Transplantes de Pancrêas em Maryland?
Dr.MP: Passei 2 semanas na University of Maryland, que é o centro número 2 do mundo em transplantes pancreáticos. Lá, percebi que não estamos fazendo nada aquém dos serviços norte-americanos, tanto em termos de controle como de sucesso do transplante pancreático. Foi importante também o aprendizado da técnica da drenagem portal, pois , em Maryland, usam esta técnica para todos os casos.

DiabeteNet: No que a experiência deles pode ser benefica para os Transplantes de Pancrêas no Brasil?
Dr.MP: Conhecer grandes centros desenvolvidos sempre traz grande aprendizado e riqueza nas condutas de nossos pacientes aqui no Brasil. Em especial, acho que começaremos a usar a técnica da drenagem portal em casos selecionados de nosso grupo.


A Comunidade DiabeteNet.Com.Br tem como finalidade informar e interagir com os seus usuários. Antes de qualquer decisão ou atitude, é indispensavel a discussão sobre os pontos aqui abordados juntamente com médicos de sua confiança.

Dê sua opinião sobre este conteúdo

Comentários sobre este conteúdo

  • gisele bueno
    23/01/2009 - 20:38

    gostaria de saber onde fica o seu consultorio para uma possivel consulta

  • Alessandra
    26/02/2009 - 17:07

    Boa tarde!

    Gostaria do telefone do consultorio para marcar consulta

  • Flavia
    17/12/2009 - 10:58

    Olá, um amigo meu fez o transplante com o Dr. Marcelo Perosa e me deu o telefone de seu consultório para que eu possa levar meu irmão para uma consulta.
    Não consigo ligar (11 37989136 e 11 37980373) qual é o número correto?
    Muito obrigada e fico no aguardo
    Abraços

  • Paulo de Tarso
    25/01/2010 - 19:23

    Procura no Site da "HEPATO" transplantes e marca uma consulta com ele. pega os telefones da HEPATO é lá que marca a consulta. Principalmente com a secretaria dele a JOYCE

  • cilesia
    16/06/2010 - 13:04

    Fiz transplante duplo pancreas/rim em julho de 2009 com o DR.Marcelo Perosa,um anjo enviado por Deus,estou ,nao tenho diabetes e nem insuficiencia renal.Obrigada Dr.Marcelo e equipe;

    Cilesia Unai/MG

  • carlos augusto
    07/10/2010 - 10:17

    Bom, muito bom, mas espero que um dia consiga se fazer transplantes sem uso de imosupressores,por isso desistir por enquanto é melhor tomar insulina.

  • Louriane
    01/03/2011 - 14:15

    gostaria de saber quais são os efeitos colaterais desse imosupressores pós transplantados e quasi as limitações de um pós transplantado duplo (rins e pancreas)obrigada.

  • Elaine e Altiele
    26/04/2011 - 19:24

    Meu esposo Altiele precisa fazer um transplante de rins e pancreas, segundo o nefro que o acompanha, mas gostaria de ter mais informações sobre o assunto.Gostaria de ter os contatos do Dr. Marcelo para fazer uma consulta.
    Desde já obrigada!

  • patricia
    14/06/2011 - 07:29

    gostaria de saber o numero de telefone do consultório do dr. marcelo perosa para marcar uma consulta para minha filha beatriz, que tem diabetes tipo 1, se alguém puder, me passar agradeço muito. obrigada

  • Fabiano Montenegro
    17/02/2014 - 22:14

    Boa Noite
    Sou Diabético Tipo I Insulina Dependente, precisave dos contanto e email do Dr Marcelo Perosa, pra saber sobre transplantes e consultas, moro na Bahia e gostaria de saber essas novidades e técnicas desse transplantes.

  • sonia martins
    13/04/2014 - 20:53

    Eu tenho diabete a 8 anos muito descontrolado aprico insulina 2 vezes por dia 50 dimanha e50 anoite i aida e alto omeu diabete e o tipo 2 eu queria saber si o dr marcelo fais. O trasprante do pancas 2

  • Márcia
    12/07/2014 - 04:26

    Quem quiser saber sobre transplante de pâncreas e pâncreas e rim e como se inscrever na lista deve ligar para o telefone 11 3541-1269 ou 11 3541-1698 e conversar com o enfermeiro Márcio.

  • sonia
    04/07/2016 - 16:01

    Criança, com 5 anos, com diabetes tipo 1, descoberta com 4 anos, devido ao pâncreas produzir pouca insulina, é indicado o transplante?

Cadastre seu comentário!


Surgyplast


Entrevistas
  • Pesquisa
  • Associe-se
  • Fórum

Acompanhe nosso arquivo de conteúdo:

» « Novembro - 2017
D S T Q Q S S
   1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

© Copyright 1997-2017 - e.Mix

As informações apresentadas a você pelo DiabeteNet contém informações gerais.
Nenhuma informação deve ser interpretada como tratamento, diagnósticos, conselhos médicos e não deve substituir a orientação do seu Médico.