Como conviver bem SEM o seu diabetes... - Diabetes, Vida e Comunidade

Como conviver bem SEM o seu diabetes...

16/04/2003 - Comunidade DiabeteNet.Com.Br

Foto Depoimentos: Alexandre

Como conviver bem SEM o seu diabetes...

Estamos acostumados a ver esta frase ao contrário: Como conviver bem com o seu diabetes...
Tenho 32 anos e durante 23 fui diabético insulino dependente e passei por todos os estágios que um diabético normal costuma passar. Revolta, raiva, aceitação e até paixão, por que não, quando achei que convivendo bonitinho com ela estaria livre de suas complicações e seria uma pessoa dita normal...

Sim. Eu cresci com as injeções e proibições mas mesmo assim estudei, namorei, andei de bicicleta, me casei, tive filho, tudo certinho como manda o figurino e como costumam nos relatar os artigos dos informativos que o mercado dos diabéticos nos oferecem. Mas a realidade foi mais cruel que a fantasia e eu comecei a perder o jogo mesmo estando com o melhor time, pois eu me cuidava, tinha acompanhamento com endócrinologista, enfim tudo como deveria ser. Mesmo assim a diabetes levou de mim a vista esquerda. Olha que eu fiz tudo o que poderia ser feito através dos oftalmologistas. Só vitrectomia foram 4 em menos de 4 meses. E há cerca de dez anos já fazia laserterapia. Meu rim chegou a atingir o segundo estágio da nefropatia, que nos leva às temidas diálises à partir do quinto estágio. Enfim eu pergunto: será mesmo possível conviver BEM com o diabetes quando sabemos que ele é um inimigo que nos ataca pelas costas? Um monstro que te trai e te mata em silêncio?...

Em minha história existem dois personagens muito importantes da época diabética que eu gostaria de citar: Meu primeiro pediatra o Dr. Chagas de BH que quando eu ainda tinha 9 anos , me disse para ter calma que os estudos estavam muito avançados e que talvez em 10 ou 15 anos ele acreditava que o diabetes seria finalmente vencido. Imaginem que em todo este tempo e essa infância conturbada, meio que roubada de mim com a doença eu nunca me esqueci dessas palavras. Acho que elas me deram muita força para chegar onde cheguei. E a outra é nada menos que minha ‘atual’ endócrinologista a Dra. BEATRIZ de BH que em meio à toda essa tristeza e medo que invadiram minha vida antes do transplante e apesar de suas dúvidas ainda com relação ao mesmo, me surpreendeu com a idéia da cirurgia , procedimento que eu nunca ouvira falar antes... À partir daí, tive a oportunidade de pesquisar tudo sobre o assunto. Conheci este site que muito me esclareceu e acalmou.

Conheci pessoas maravilhosas que mais tarde pude ter o prazer de estar com elas pessoalmente em SP e que se tornaram amigos do coração... E conheci os centros transplantadores. Fui em consultas, me informei e optei por fazer a cirurgia com a equipe do Dr. Marcelo Perosa, que calorosamente me recebeu e esbaldou simpatia no convívio comigo e com minha família.
Fiz o TPI em 10/10/02. Minha cirurgia durou seis horas e meia. Fiquei dois dias na UTI e apenas 10 internado. Recuperei-me com toda garra de quem quer viver e com três meses e meio de cirurgia, já voltei para casa (em Belo Hte ) dirigindo meu próprio carro.

Hoje sim, me sinto renovado... Desde novembro não tomei mais uma gota de insulina. Minha glicose tem índices normais, a glicohemoglobina veio normal. Já me consultei com os oftalmologistas e minha visão está estável , minha creatinina baixou consideravelmente (0,8). Já posso trabalhar e mesmo com os imunossupressores, consigo desfrutar de muito lazer com minha família. Basta um pouco de cautela. E porque eu convivo bem SEM o meu diabetes?

Não é pelo fato de estar comendo doces e muito menos porque estou livre das picadas de injeções mas pelo simples fato de poder sonhar com o meu futuro... De poder me imaginar nas festinhas de Dia dos Pais da escolinha do meu filho e ‘vendo’ todo o seu esforço para me arrancar um sorriso...

De envelhecer com minha esposa e quando estivermos aposentados e velhinhos (juntos), curtir um pôr de sol sentados em uma praia , lembrando e rindo de tudo isso.

Desta forma, fica aqui o meu apelo aos nossos médicos. Não neguem que já existe uma outra saída do fundo do poço, apesar de ser tudo muito “novo” será interessante para nós mesmos podermos pesquisar, procurar alternativas e optar, ou não, em arriscar tudo para podermos (quem sabe?) mudarmos esta parte final da literatura médica que todos conhecemos...e sem poder optar, será o que nos resta.

Quero viver intensamente cada segundo da minha vida. Sentir fluir em meu corpo o milagre da insulina correndo espontaneamente. Respirar alegria e repartir esperanças a todos os colegas diabéticos.

Quero pedir à Deus todos os dias pela família do doador. Quisera eu poder espalhar a todos a emoção que é continuar a vida hoje, através de um ato de doação.

Quero dizer à equipe do Dr. Marcelo que se hoje posso sonhar com o meu futuro, eu devo isso a vocês...
Quero agradecer a Deus todos os dias por essa nova vida...

E aqui estou eu, com a estrofe de uma música do Renato Teixeira que resume meu viver à partir do transplante...

Um grande abraço...
ALEXANDRE




“Ando devagar, porque já tive pressa e levo este sorriso, porque já chorei demais.....”
A Comunidade DiabeteNet.Com.Br tem como finalidade informar e interagir com os seus usuários. Antes de qualquer decisão ou atitude, é indispensavel a discussão sobre os pontos aqui abordados juntamente com médicos de sua confiança.

Dê sua opinião sobre este conteúdo

Comentários sobre este conteúdo

  • Mônica
    17/10/2008 - 11:23

    Tenho dois sobrinhos diabeticos um de 11 anos e o outro de 8, sofremos muito com tudo isso e pricipalmente por ser crianças que adora comer doces, aqui a vida é muito dificél pois moramos na fazenda no lugarzinho no fim do mundo na Bahia, o meu maior sonho é ver eles bem pois só assim vou poder ser feliz de verdade, fico muito feliz por essas pessoas que conseguiram esse tratamento como no caso de Jane de Salvador e todos os outros eu tenho muita fé em Deus que um dia vamos. Se alguem saber de informações que pode nos ajudar pode ligar para o TEL:34172003 falar com Mônica a procura de tratamento para os meus sobrinhos. Muito obrigada e que Deus abençõe todos.

  • Mônica
    17/10/2008 - 11:24

    Tenho dois sobrinhos diabeticos um de 11 anos e o outro de 8, sofremos muito com tudo isso e pricipalmente por ser crianças que adora comer doces, aqui a vida é muito dificél pois moramos na fazenda no lugarzinho no fim do mundo na Bahia, o meu maior sonho é ver eles bem pois só assim vou poder ser feliz de verdade, fico muito feliz por essas pessoas que conseguiram esse tratamento como no caso de Jane de Salvador e todos os outros eu tenho muita fé em Deus que um dia vamos. Se alguem saber de informações que pode nos ajudar pode ligar para o TEL:34172003 falar com Mônica a procura de tratamento para os meus sobrinhos. Muito obrigada e que Deus abençõe todos.

  • Mônica
    17/10/2008 - 11:26

    Tenho dois sobrinhos diabeticos um de 11 anos e o outro de 8, sofremos muito com tudo isso e pricipalmente por ser crianças que adora comer doces, aqui a vida é muito dificél pois moramos na fazenda no lugarzinho no fim do mundo na Bahia, o meu maior sonho é ver eles bem pois só assim vou poder ser feliz de verdade, fico muito feliz por essas pessoas que conseguiram esse tratamento como no caso de Jane de Salvador e todos os outros eu tenho muita fé em Deus que um dia vamos. Se alguem saber de informações que pode nos ajudar pode ligar para o TEL:34172003 falar com Mônica a procura de tratamento para os meus sobrinhos. Muito obrigada e que Deus abençõe todos.

  • Maria
    02/03/2011 - 21:55

    Isso não existe, ele fez tudo ''direitinho'' do ponto de vista dele. Vai saber mesmo como foi esse ''direitinho''.Qualquer médico acharia o cúmulo esse depoimento.Então eu te digo:
    TODO DIABÉTICO QUE SE CUIDA, NÃO TEM NENHUMA COMLICAÇÃO AO LONGO DE SUA VIDA.

    Fica a dica!!!

  • LUCIANA CARVALHO
    19/03/2012 - 13:19

    OLA TENHO UM IRMAO DIABETICO IGUAL AO QUE O ALEXANDRE ERA , DESDE INFANCIA.QUERO NOVIDADES SOBRE ESSE ASSUNTO , QUERO AJUDAR MEU IRMAO QUE HOJE TEM 28 ANOS.QUERO SABER NOTICIAS DO ALEXANDRE. OBRIGADO . LUCIANA DOS SANTOS CAR VALHO
    92238566

  • leonel peregrino
    19/05/2012 - 17:48

    minha espôsa sente mal quando come doce, sente muita tonteira, e quase não dorme , a noite devido sequencia de fogacho,ou seja calorão, ja tomou muitos tipos de remédio, se alguem sabe algum medicamento,eficas contra este mal por favôr me informe,ficarei grato, ela tem 61,anos seu nome maria.

  • flavio
    13/06/2012 - 12:15

    alo alexandre,bacana,fiquei feliz com a sua vitoria,na minha familia eu fui o unico premiado,nao conheco ninguem da familia q tenha o mesmo problema,avo,tio,pai,mae,ningeum mesmo,va enterder um troco desse,queria algumas dicas sua,abracos....71 88556741,salvador

Cadastre seu comentário!


Surgyplast


Depoimentos
  • Pesquisa
  • Associe-se
  • Fórum

Acompanhe nosso arquivo de conteúdo:

» « Novembro - 2017
D S T Q Q S S
   1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

© Copyright 1997-2017 - e.Mix

As informações apresentadas a você pelo DiabeteNet contém informações gerais.
Nenhuma informação deve ser interpretada como tratamento, diagnósticos, conselhos médicos e não deve substituir a orientação do seu Médico.