Planta usada no combate à diabetes promete avanços na cura do câncer - Diabetes, Vida e Comunidade

Planta usada no combate à diabetes promete avanços na cura do câncer

28/10/2003 - Folha de São Paulo


Pesquisadoras da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) identificaram e patentearam uma substância extraída de um arbusto do Sudeste brasileiro que é capaz de matar até as mais resistentes células cancerosas.

Há ainda um caminho de vários anos a percorrer entre o mato e a farmácia, mas Cerli Rocha Gattass e suas colegas do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, na UFRJ, dizem estar esperançosas quanto ao potencial do ácido pomólico. O ácido é retirado das folhas do abajeru (para os cientistas, Chrysobalanus icaco).

A notícia da descoberta saiu na quinta-feira no jornal "O Globo".
"Até agora, a eficiência [da substância] tem sido grande", diz Gattass, 59. Tanto é que a UFRJ obteve uma patente preventiva da substância, com duração de um ano, em 122 países.

"Depois desse prazo, podemos escolher em quais países manter a patente", diz a biofísica. As cientistas também já reservaram seus direitos de propriedade intelectual no Brasil, registrando a descoberta no INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial).

Arsenal biológico

Segundo a cientista, a planta, comum na América e na África Ocidental, já tinha um uso popular no tratamento do diabetes. Raquel de Oliveira Castilho, então estudante de doutorado no NPPN (Núcleo de Pesquisas de Produtos Naturais da UFRJ), passou a estudar as propriedades dos extratos e das moléculas do abajeru.

Com ajuda de Castilho, hoje na Universidade Católica Dom Bosco, em Campo Grande (MS), Gattass notou que a planta tinha um verdadeiro arsenal biológico: suas moléculas tiveram efeito positivo contra diabetes e também contra bactérias, contra os parasitas causadores da leishmaniose e da doença de Chagas e, finalmente, contra o câncer.

A molécula que apresentou a ação anticancerígena, ácido pomólico, era desconhecida, conta Gattass. "Só havia seis trabalhos na literatura [científica], que apenas diziam que ele estava presente na planta", afirma. Com a ajuda da biomédica Vivian Rumjanek, também da UFRJ, a pesquisadora decidiu submeter o ácido a uma prova de fogo: o contato com linhagens de células de câncer resistentes a praticamente todo tipo de quimioterapia.

No caso, os vilões celulares causam a chamada leucemia mielóide, um câncer das células sanguíneas. "Elas são selecionadas em laboratório para ficarem cada vez mais resistentes aos medicamentos, como ocorre no organismo de um paciente de verdade", explica Rumjanek, 56.

Por razões ainda pouco conhecidas pelos cientistas, esse tipo de célula tem, na sua membrana, proteínas que funcionam como uma bomba, ejetando continuamente qualquer substância nociva para fora da célula. "Acontece que o ácido pomólico matava a linhagem toda e ia muito bem, obrigado", brinca Gattass. O mesmo aconteceu quando a substância foi posta à prova contra cânceres de pulmão, mama, laringe, intestino e cérebro.

Entre 70% e 90% das células cancerosas eram eliminadas. Como o ácido pomólico faz isso ainda não está claro. Estudos da estudante de doutorado Janaina Fernandes, orientada por Gattass, sugerem que a molécula gera uma pane nas mitocôndrias (usinas de energia das células).

Segundo a biofísica, os efeitos do ácido em células normais são pequenos.

Preservação

De fato, parece o remédio ideal, mas há vários motivos para não sair por aí depenando os arbustos de C. icaco. A primeira é que são necessários testes em animais e, posteriormente, em humanos, para comprovar a eficácia da molécula --um processo que ainda deve levar vários anos.

A segunda, explica Gattass, é que não adianta usar as folhas da planta para fazer chá: o ácido pomólico não aparece em infusões desse tipo. Os cientistas só podem isolá-lo num processo complicado, secando as folhas, moendo-as e misturando o pó a metanol, que depois é evaporado. A intenção do grupo é aumentar a eficiência do processo e também encontrar formas de sintetizar a substância.

De qualquer maneira, o potencial revelado pelo arbusto, afirma Gattass, é só uma amostra do que a biodiversidade brasileira, cujas espécies ainda são em grande parte desconhecidas, é capaz de oferecer. "Isso mostra o celeiro que o Brasil é", afirma
A Comunidade DiabeteNet.Com.Br tem como finalidade informar e interagir com os seus usuários. Antes de qualquer decisão ou atitude, é indispensavel a discussão sobre os pontos aqui abordados juntamente com médicos de sua confiança.

Dê sua opinião sobre este conteúdo

Comentários sobre este conteúdo

  • gleison
    1/3/2009 - 22:14

    olha eu axo que deveria ter mas detalhado os nomes das plantas sua posologia e suas indicações eu queria receber nem só de diabetes como colestero e outros assuntos mas detalhados para que eu possa fazer estudo sobre essas plantas que faz parte de nossa viada

  • maurizio chialchia
    10/3/2009 - 07:18

    Foi me dado de presente uma muda de um arbusto muito parecido com este abajeru,para ser usado contra a diabetes. Não se engere a planta simplesmente se esfrega as folhas nas paumas das mãos e na sola dos pés. Gostaria de saber se alguem ja ouviu com se usa o abajeru?

  • Marly dos Santos
    24/8/2009 - 19:01

    Conheço o abajeru,faço o chá de 20 folhas p/litro de água.Minha mãe e diabética e toma a glicose dela de 350 vai p/ 160 aproximadamente com cautela.Durante uns 20 dias.Estou muito feliz por saber k a planta esta sendo tão bem divulgada.Grata

  • maria clara dos sant
    24/1/2010 - 22:14

    quero baixa a minha diabete como faço

  • Oséas Pereira
    15/3/2010 - 08:03

    Gostei das novidades sobre o abajeru. Gostaria de saber se esse arbusto tem um outro nome pelo qual seja conhecido em outra regiões do país e se pode ser plantado no quintal de casa. OBG.

  • Afonso Bezerra
    26/4/2010 - 14:13

    tenho uma família de diabéticos com três pessoas sendo, minha mãe e duas irmãs, a primeira é controlada com 84 anos, a sgunda é a diabetes da fome com 64 anos e a terceira é a que sente fastil com 55 anos, de acordo com o teste ainda não contraí, o que fazer para se livrar da doença?

  • Boanova Dias
    20/6/2010 - 21:23

    Vivo em Lisboa, e preciso urgentemente do chá de Abajeru! Aparentemente não há em Portugal. Será que me podem dar informação de como obtê-lo?
    Muito obrigado.
    21/06/2010 - 01:22

  • nélia
    12/7/2010 - 11:55

    O chá para diabéticos realmente surte efeito, porém não se deve esquecer que se faz necessário dieta e exercícios para um bom controle da doença.
    Em relação ao câncer é uma boa notícia. Espero que em poucos anos esteja aprovado para o uso da população.

  • antonio
    31/8/2010 - 00:35

    minha esposa faz uso do chá de bajuru como é chamado aqui na nossa região e esta muito satisfeita com os resultados.
    Aconselho a quem for diabético tomar com moderação pois ele ajuda a manter a taxa de glicose mais baixa mas não cura a doença, portanto não se iludam pois a unica maneira é fazer uma dieta regular associada a uma atividade física.

  • geuzete
    1/9/2010 - 10:16

    por favor moro em alagoas, como faço para conseguir esta planta.estou precisando muito. ela possui outro nome?.

  • ABADIO
    1/9/2010 - 22:38

    Pelo amor de Deus , nao aguento mais tomar metiformina, arruma um cha um trem qualquer para ajudar a controlar essa tal de diabets, é terrivel, quando eu era criança, nao comia nada pois nao tinha condiçoes, hoje tenho condiçoes, nao como pois, a diabets é muito alta, nao tem rmedio que de jeito me informe.

  • mauricio
    12/10/2010 - 21:09

    tenho diabetes,e por informações de amigos disserão-me q o (abajuru) abaixava a glicose encontrei na praia um pé de bajuru panhei folhas, sequei e guardei e estou com as sementes dos frutos que ele dá ,tentando tirar mudas pois eu acho que ela se dá muito bem plantada na areia de praia porque trouxe algumas mudas para casa e as plantei em terra comon e las morreram,então peguei areia de praia para planta as sementes que eu consegui.
    um bom lugar para achar as folhas são nas floras ou em lugares q vende ervas como por ex:mercado,praças

    procure na embrapa do seu estado ou cidade se a como eles obterem mudas pois se eu consigui q essas sementes brotam espero poder ajudar aos q precisarem com as mudas.
    SEJA DEUS ENGRADECIDO E O MAIS QUE ELES NOS ABEÇOE...

  • Terezinha Arlete And
    24/1/2011 - 19:57

    Também estou interessada na planta Abajerú, pois na semana passada tive grise de refluxo esofragico, devido ao vildagliptina e glimeperida. 03 anos tomando, agora preciso dar um tempo, com chás e melhorar do estômago. Agente toma remédio para uma coisa e estraga outra.
    Estou em Curitiba, espero conseguir aquí essa planta. E com a ajuda de Deus, possamos dimunuir o indice dessa glicose.
    Saúde a todos.

  • sonia
    10/2/2011 - 20:01

    essa planta e fácil de encontrar na Pça da Sé, em São Paulo, pois lá encontramos várias casas que vendem ervas para chás de todos os tipos.

  • linde
    10/2/2011 - 20:05

    Para o estomago tome chá de cipó cruz, é bem amargo mas funciona, pois para mim foi um santo remédio, serve até mesmo para diabetes.

  • euclides
    17/2/2011 - 22:51

    preciso saber onde encontrar essa planta milagrosa

  • Rogerio Marinho
    25/2/2011 - 15:32

    Como faço para encontrar essa planta, chamada Abajeru, pois tenho Diabetes tipo 2, e nao consigo faze-la baixar. Obrigado. Rogerio.

  • valdir
    19/3/2011 - 00:31

    Tenho um cunhado que está tomando o chá de abajerú e realmente a glicose dele baixou muito,pois em média a glicose dele ficava em torno de 220 e agora ele tem conseguido mantê-la em 160,daí para baixo,lógicamente associada aos remédios.
    Como também sou diabético,comecei a tomar e estou me sentindo bem melhor.
    Vamos torcer para que realmente esta planta seja a nossa aliada contra esta doença.
    Fé em DEUS.
    VALDIR

  • lucia
    19/3/2011 - 19:05

    mande mais informações sobre o abajeru

  • anonimo
    5/4/2011 - 20:54

    parece que essa erva é boa sim. meu tio se dis curado da diabetis

  • eloina
    27/4/2011 - 11:29

    nao aguento mais esse tal diabetes mim mandem esta planta milagrosa por favor

  • carlos
    16/5/2011 - 16:59

    tambem é conhecida como guairu . Dá no sul da bahia litoral´praias.

  • jacira
    15/6/2011 - 15:55

    encontrei composto de extrato de propolis sabor abajeru, comprei no mundo verde segundo informação tomar 30 gotas 3 x ao dia,quem pode me dizer se esta certo e se isso funciona de verdade, aguardo resposta obrigada DEUS nos abençoe

  • jacira
    15/6/2011 - 15:56

    encontrei composto de extrato de propolis sabor abajeru, comprei no mundo verde segundo informação tomar 30 gotas 3 x ao dia,quem pode me dizer se esta certo e se isso funciona de verdade, aguardo resposta obrigada DEUS nos abençoe

  • sebastiana
    22/6/2011 - 04:26

    eu comesei a tomar o chá de pata de vaca e o chá abajerú pro meu diabeti eu estou com muita fé nesse chá obrigado abraço a todos

  • waldonier
    3/7/2011 - 01:20

    o bajuro e planta de restinga litoranea em cabo frio tem muito nas dunas mais tem que tomar cuidado que tem outra planta que se parece muito com o bajuru e ela e toxica e o uso tem que sewr controlado e com ajuda medica.

  • aida
    18/7/2011 - 00:34

    abajeru é uma planta rasteira? que dá uma flor roxo?

  • Soraya
    21/7/2011 - 20:14

    Meu pai tem diabetes, sente muita dor nas pernas. Bebendo o cha de bajuru será que melhora

  • Soraya
    21/7/2011 - 20:14

    Meu pai tem diabetes, sente muita dor nas pernas. Bebendo o cha de bajuru será que melhora

  • Soraya
    21/7/2011 - 20:14

    Meu pai tem diabetes, sente muita dor nas pernas. Bebendo o cha de bajuru será que melhora

  • ROGERIO DA FONSECA
    27/7/2011 - 16:56

    VI A TEMPOS ATRÁS REPORTAGEM NO "FANTÁSTICO", SOBRE PESQUISA NO INSTITUTO OSWALDO CRUZ PARA CURA DO CANCER COM GRANDES POSSIBILIDADES DE CURA. É UTILIZADA COM EFICÁCIA EM VÁRIOS CASOS, COMPROVADOS, CONTRA A DIABETES. PLANTA EXISTENTE EM ARRAIAL DO CABO. INCLUSIVE NO TERRENO EM MINHA CASA.

  • neusemira
    13/8/2011 - 08:01

    PARABENIZO POR ESSA PESQUISA.TENHO MARIDO E FILHA DIABÉTICOS E O BAJURU TEM AJUDADE BASTANTE NO CONTROLE DESSA DOENÇA.

  • rogério
    24/8/2011 - 09:04

    tenho abajerú com preços populares para venda (22)97300339 melhor preço do brasil mando com menor preço e mais quantidade envio pelo correio sandra ou rogério

  • rogério
    24/8/2011 - 09:04

    tenho abajerú com preços populares para venda (22)97300339 melhor preço do brasil mando com menor preço e mais quantidade envio pelo correio sandra ou rogério

  • Maria Henrique
    3/9/2011 - 12:05

    Olá!Paz e bem a todos!
    Gostaria de mais informações sobre esta planta e informações também de como fazer o chá, as medidas de água e folhas.
    Consegui a planta, fiz o chá, porém a glicose de minha mãe ficou descontrolada, estava em média 150/200 e baixou radicalmente para 109 no primeiro dia, com alguns sintomas de mal estar, ficamos com medo e então diminui a dosagem para uma vez ao dia , dia sim dia não e agora foi para 305, e tomando os remédios que sempre tomou, então preciso de informações de qual é a dosagem certa, quantas vezes ao dia e quantas folhas para quanto de água. alguém pode ajudar ? desde já obrigado.

  • Maria Henrique
    3/9/2011 - 12:15

    Olá!Paz e bem a todos!
    Gostaria de mais informações sobre esta planta e informações também de como fazer o chá, as medidas de água e folhas.
    Consegui a planta, fiz o chá, porém a glicose de minha mãe ficou descontrolada, estava em média 150/200 e baixou radicalmente para 109 no primeiro dia, com alguns sintomas de mal estar, ficamos com medo e então diminui a dosagem para uma vez ao dia , dia sim dia não e agora foi para 305, e tomando os remédios que sempre tomou, então preciso de informações de qual é a dosagem certa, quantas vezes ao dia e quantas folhas para quanto de água. alguém pode ajudar ? desde já obrigado.

  • Jacira Izabel
    12/9/2011 - 20:36

    Realmente, o chá do Abajeru é muito bom para o diabético, meu esposo é diabético e controla a glicose com ochá dessa planta. Ele faz o controle com o aparelho, medindo sempre para não baixar muito. Não pode tomar muito tempo sem fazer o exame. Seja feliz !

  • Jacira Izabel
    12/9/2011 - 20:46

    Realmente, o chá do Abajeru é muito bom para o diabético, meu esposo é diabético e controla a glicose com o chá dessa planta. O chá é feito com 2 colheres de sopa das folhas e 2 litros d'agua fervente. Deixe esfriar, ponha na geladeira e tome uma xícara 3 vezes ao dia, durante 15 dias, pare 3 dias, e volte a tomar. Boa sorte! É importante medir após os 15 dias !

  • Jadir
    24/9/2011 - 21:01

    Realmente , o Abajeru ,quando tomei junto com a minha medicação de diabetes ,me proporcionou uma descida na Glicose. e hoje minha Glicose aumentou para 250 e ta me afetando sexualmente ja vou na feira comprar as folhas e fazer o chá e botar na geladeira e claro fazendo as dietas .

  • Elson Reis
    15/10/2011 - 13:09

    Bajerú Pesquisas realizadas,demonstraram ação hipoglicemiante significativa no diabetes tipo II.

    Jambolão É comprovada em estudos, a redução do açúcar urinário

    Pata-de-vaca Toma-se uma xícara tres vezes ao dia. É hipoglicemiante e diurético, e o princípio ativo é uma glicoproteína
    Stévia . É utilizada como substituto do açúcar efeito hipoglicemiante e hipotensor provocado por alguns dos glicosídeos presentes na planta. Deve-se tomar alguns cuidados, porque também possui efeito cardiotônico
    Pedra Ume Caá Estudos comprovam sua ação hipoglicemiante, produzida pela melhoria dos parâmetros metabólicos da utilização da glicose. Foi demonstrada também a queda dos níveis de insulina no plasma.

  • Elson Reis
    15/10/2011 - 13:12

    -Bajerú (Chrysobalanus icaco L.) também conhecida como abajerú ou guajerú. Utiliza-se o chá (infusão) de suas folhas. Pesquisas realizadas,demonstraram ação hipoglicemiante significativa no diabetes tipo II.

    Jambolão (Eugenia jambolana Lam) também conhecido como jamelão ou jambul. Originária da Índia, a árvore pode atingir até 10 metros de altura, com muitos galhos. Folhas lisas e brilhantes, flores brancas ou cremes, frutos pequenos, ovóides de cor roxa, quando maduros. Polpa carnosa envolvendo uma semente. Macerado de 0,5 a 1 grama de sementes secas em um copo (200ml) de água fria, duas a tres vezes ao dia; ou 2 gotas do suco obtido de sementes esmagadas, dissolvidas em um pouco de água, tres vezes ao dia. É comprovada em estudos, a redução do açúcar urinário.

    Pata-de-vaca (Bauhinia candicans) também conhecida por unha-de-vaca, unha-de-boi, mororó, casca-de-vaca, bauínia, unha-de-anta, capa-bode, pé-de-boi, casco-de-burro ou unha-de-veado. A árvore mede de 5 a 9 metros de altura, requer solo fértil para se desenvolver e é encontrada com facilidade no sul do Brasil, à beira das estradas. Sua atividade hipoglicemiante foi estudada, pela primeira vez, em 1929, e doze anos depois, foi identificado seu princípio ativo. Em 1984, descobriu-se sua atividade reguladora da diurese. Usa-se o chá de suas folhas, preparado com 1 grama de folha seca para cada 250ml de água fervente. Toma-se uma xícara tres vezes ao dia. É hipoglicemiante e diurético, e o princípio ativo é uma glicoproteína

    -Stévia (Stevia rebaudiana Bert.) é um arbusto perene, que pode alcançar um metro de altura e é facilmente encontrado, em toda a América do Sul. É utilizada como substituto do açúcar, graças a seu poder adoçante, 300 vezes maior que o do açúcar comum. Existem ainda estudos recentes (1986 e 1991), que trazem a confirmação do aumento da tolerância à glicose, em indivíduos diabéticos e normais, e de um efeito hipoglicemiante e hipotensor provocado por alguns dos glicosídeos presentes na planta. Deve-se tomar alguns cuidados, porque também possui efeito cardiotônico

    -Pedra Ume Caá (Myrcia salicifolia, Myrcia uniflorus) também conhecida como insulina vegetal. É um arbusto de médio porte, que cresce nas regiões mais secas da Amazônia e em outra partes do Brasil. Possue pequenas folhas verdes e flores vermelho-alaranjadas. Estudos comprovam sua ação hipoglicemiante, produzida pela melhoria dos parâmetros metabólicos da utilização da glicose. Foi demonstrada também a queda dos níveis de insulina no plasma. O chá, produzido pela decocção de suas folhas, é a forma de uso mais utilizada.

  • Elson Reis
    15/10/2011 - 13:16

    TESTEMUNHO DE HOMEN QUE SE DIZ CURADO DA DIABETES!

    1. Meu nome é Amiltom Coitinho tenho 47 anos, sou casado e resido em Arapongas Pr. Como muitas pessoas eu também sofri muito por causa da diabete, eu não sabia o que tinha até que um dia eu passei mal e fui levado já quase em coma para o hospital. Fiz muitos exames e um deles deu diabete tipo dois já num gral muito elevado, pois, eu já estava ficando sego, fiquei internado e quando recebi alta veio a decepção, o doutor me disse que eu tinha que tomar insulina pelo resto da vida. Entrei em depleção, não aceitava ser escravo de insulina, mas, tomei-a durante três longos anos, ai comecei a procurar remédios caseiro, até que me ensinaram um tal de chá de JAMELÂO, eu estava disposto a qualquer coisa pra se livrar da insulina. Mesmo sem acreditar que ia me curar eu comecem tomar o chá de JAMELÂO, pois, eu não tinha nada a perder. E não é que depois de três meses tomando o chá de JAMELÂO fui ao medico medir a diabete, e, a surpresa, a diabete tinha sumido, o medico disse que eu não era mais diabético e não precisava mais de insulina, não é incrível? E agora já faz dois anos que eu não tomo mais insulina graças a Deus e ao chá de JAMELÂO. É difícil acreditar, pois, eu também não acreditava, mas, estou totalmente curado e levo uma vida normal já há dois anos, e agora eu quero que outras pessoas que sofrem com esse mal também sejam curadas. Façam o chá de JAMELÂO mesmo que você não acredite, pois, eu também não acreditava, mas, façam você não vai perder nada, e o JAMELÂO pra quem não a conhece é uma arvore semelhante a um pé de jabuticaba só que maior, mas que da umas frutinhas idênticas à jabuticabeira, procure-o com pessoas do sitio eles vão te arrumar, pois, ele é muito comum nos sítios.
    PEGUE DEZ FOLHAS DE JAMELÃO DEIXE-AS SECAR E VERVA EM DOIS LITROS DE AGUA, GUARDE NA GELADEIRA E TOME TRES COPOS DURANTE O DIA E CONTINUI COM O TRATAMENTO CONVENCIONAL, VOCE VAI VER QUE EM ALGUNS MESES ESTARA LIVRE DE APLICAR ISULINA. EU ESTOU E A MINHA DIABETE ERA A TIPO DOIS, AMILTOM COITINHO, FONE (43)-8804-2760

  • Elson Reis
    15/10/2011 - 13:27

    Colesterol e Triglicérides
    O que é colesterol?
    Colesterol é um tipo de gordura que é produzido exclusivamente por animais, inclusive os humanos. O colesterol circula normalmente no sangue, sendo usado pelas células do corpo para construir as membranas celulares, para fabricação de alguns hormônios e vitaminas e também como uma fonte de energia.
    O que são os triglicérides?
    Triglicérides, ou triglicerídeos, são um tipo de gordura, composto por uma molécula de glicerol e três moléculas de ácidos graxos. Os triglicérides são a principal forma de estocagem de energia dos animais, que os acumulam no tecido adiposo na forma de gordura.
    Qual a importância dos níveis de colesterol no sangue?
    O aumento dos níveis de colesterol acima de limites desejáveis é conhecido como hiperlipidemia, ou hipercolesterolemia, ou simplesmente dislipidemia. A maioria das pessoas com colesterol alto não tem qualquer sintoma; no entanto, os níveis altos de colesterol sangüíneo aumentam muito o risco do indivíduo apresentar doenças graves, tais como: a angina pectoris (uma dor no peito de origem cardíaca), o infarto do miocárdio, o derrame (acidente vascular cerebral) e problemas de circulação em outros locais do corpo. Todas essas doenças ocorrem porque o colesterol aumentado no sangue acaba se depositando nos vasos sangüíneos (artérias) com o passar do tempo, na forma de gordura, e isso leva finalmente ao entupimento da artéria. Assim, o sangue não consegue mais circular pelo vaso atingido. A obstrução das artérias pela deposição de gordura (colesterol) nas suas paredes é conhecida como aterosclerose. O órgão ou tecido afetado sofre danos graves pela falta de circulação. Se isso ocorrer no coração, o paciente tem angina ou um infarto; se ocorrer no cérebro, a pessoa tem um derrame; e assim por diante.
    Por esse motivo, os médicos prescrevem tratamento para pessoas com colesterol alto, pois a redução dos níveis de colesterol pode protegê-las de doenças cardíacas e derrame cerebral. Felizmente, na grande maioria dos casos os níveis de gordura no sangue podem ser controlados com uma combinação de dieta, perda de peso, exercício e medicações adequadas.

    Como as gorduras circulam no sangue?
    As gorduras circulam no sangue na forma de partículas esféricas, compostas por algumas proteínas na superfície e contendo lipídios (gorduras) no seu interior. Essas partículas são chamadas lipoproteínas.
    Existem vários tipos de lipoproteínas. As mais importantes são:
    a) LDL (low-density lipoprotein, ou lipoproteína de baixa densidade) - Também é chamada de “mau colesterol”, pois vários estudos grandes mostraram que os níveis aumentados de LDL estão fortemente associados com o risco de doença cardiovascular. Transportam o colesterol do fígado e do intestino para os tecidos periféricos. O colesterol ligado às partículas de HDL pode ser medido por exames de laboratório, e é chamado de LDL-colesterol.
    b) HDL (high-density lipoprotein, ou lipoproteína de alta densidade) - É conhecida como “bom colesterol”, pois, ao contrário da LDL, quanto maiores os níveis de HDL no sangue de uma pessoa, menores são suas chances de desenvolver doenças cardiovasculares. Também transportam colesterol, mas no sentido inverso do LDL: retiram a gordura dos tecidos periféricos e dos vasos e a transportam para o fígado, onde vai ser metabolizada. O colesterol ligado às partículas de HDL pode ser dosado em laboratório, e é chamado HDL-colesterol.
    c) VLDL (very-low-density lipoprotein, ou lipoproteína de muito baixa densidade) - transporta colesterol e triglicérides. O aumento das VLDL (que pode ser constatado pelo aumento dos triglicérides no sangue) também aumenta o risco de problemas cardíacos.
    d) Quilomícrons - transportam basicamente triglicérides.
    Que tipos de gordura podem ser dosados no sangue?
    A maioria dos laboratórios consegue dosar os seguintes tipos de gordura:
    - Colesterol total;
    - HDL-colesterol;
    - LDL-colesterol;
    - Triglicerídeos.

    Geralmente os médicos solicitam um exame chamado “perfil lipídico”, ou “lipidograma”, que é a dosagem dos 4 tipos principais de gorduras: colesterol total, HDL-colesterol, LDL-colesterol e triglicerídeos.
    Um cuidado importante quando se vai colher uma amostra de sangue para dosagem do perfil lipídico é que o paciente deve fazer pelo menos 12 horas de jejum antes da coleta, para não haver interferência nos resultados do exame.

  • Elson Reis
    15/10/2011 - 13:34

    Quais são as causas do aumento do colesterol?
    O consumo exagerado de alimentos ricos em colesterol (carnes gordas, leite integral, queijos amarelos, bacon, manteiga, banha) pode fazer os níveis de colesterol aumentarem. Além disso, o excesso de peso pode fazer os níveis de colesterol e triglicérides subirem. Mulheres tendem a ter um aumento do colesterol após a menopausa. Finalmente, fatores genéticos podem ser responsáveis pelo aumento do colesterol em algumas pessoas, principalmente se houverem várias pessoas na mesma família com esse problema.
    Quais são as causas do aumento dos triglicérides?
    A causa mais comum do aumento de triglicérides é a obesidade. Lembre que os triglicérides são a forma na qual a energia em excesso é armazenada no corpo humano. A gordura do corpo é composta na sua grande maioria por triglicérides. Portanto, quanto mais acima do peso um indivíduo, maiores seus níveis de triglicérides. Freqüentemente, pessoas obesas apresentam triglicérides elevados, HDL-colesterol baixo, glicemias alteradas (ou diabetes) e/ou pressão alta; é a chamada síndrome metabólica. (Leia mais sobre síndrome metabólica clicando aqui).
    O consumo exagerado de carboidratos ou açúcar pode aumentar os triglicérides também. Além disso, o consumo de grandes quantidades de álcool também pode elevar os triglicérides. Outras causas de aumento dos triglicérides, que devem ser pesquisadas em todos os pacientes, são: o hipotireoidismo, o diabetes mellitus descontrolado, algumas doenças do rim (síndrome nefrótica) e alguns distúrbios genéticos (hipertrigliceridemia familiar).
    Em mulheres, uma causa comum do aumento de triglicérides é o uso de estrógenos por via oral, seja como pílulas anticoncepcionais ou como tratamento da menopausa (reposição hormonal); se os triglicérides estiverem muito aumentados nessa situação, pode ser necessário o uso de estrógenos por outra via que não a oral (injetável, adesivos, cremes ou vaginal). Várias medicações também podem aumentar os triglicérides, dentre elas: diuréticos, beta-bloqueadores, corticóides, anti-psicóticos e medicações contra o vírus HIV.
    Quem deve fazer exames para avaliar seus níveis de colesterol e triglicérides?
    As recomendações atuais são de que todos os adultos, a partir dos 20 anos de idade, façam uma dosagem de colesterol e triglicérides pelo menos uma vez a cada 5 anos.
    É preferível a coleta do perfil lipídico completo (colesterol total, HDL-colesterol, LDL-colesterol e triglicérides).
    Pessoas com níveis de colesterol dentro da faixa desejável podem colher um novo exame em apenas 5 anos; se houver qualquer alteração, é necessário repetir o exame com mais freqüência e/ou buscar avaliação médica para iniciar o tratamento mais adequado.
    Quem deve receber tratamento para os níveis de colesterol?
    A decisão de iniciar tratamento para redução dos níveis de colesterol (ou triglicérides) é feita pelo médico, avaliando caso a caso. Para isso, é necessário considerar todas as outras características do paciente, tais como a presença de outros fatores de risco cardiovascular e a presença ou não de doença cardiovascular instalada (se ausente: prevenção primária; se presente: prevenção secundária).
    a) Prevenção secundária (pessoas com doença cardiovascular prévia - infarto, angina, derrame, má circulação em membros inferiores) - neste caso, um tratamento mais agressivo, objetivando uma redução importante dos níveis de colesterol, é recomendável. Geralmente é desejável um nível de LDL-colesterol menor que 100 mg/dL. Entre 100 e 130 mg/dL, pode-se tentar apenas a modificação dietética, perda de peso e prática de exercício; mas medicações podem ser necessárias. Medicações são geralmente utilizadas quando o LDL-colesterol está acima de 100 ou 130 mg/dL. Em diabéticos com doença cardiovascular, a maioria dos médicos hoje recomenda manter um nível de LDL-colesterol mais baixo ainda: menor que 70 mg/dL.
    b) Prevenção primária (pessoas sem doença cardiovascular conhecida) - Neste grupo de indivíduos, uma dieta específica é recomendada se houver LDL-colesterol muito aumentado ou um aumento de LDL-colesterol moderado na presença de dois ou mais fatores de risco cardiovascular. Medicações podem ser necessárias se, após algumas semanas de dieta, o LDL-colesterol ainda estiver acima de 190 mg/dL em qualquer paciente ou acima de 160 mg/dL em pacientes com 2 ou mais fatores de risco adicionais. Uma exceção são os diabéticos, que devem ter um LDL-colesterol menor que 100 mg/dL.

  • Elson Reis
    15/10/2011 - 13:37

    Quem deve receber tratamento para os níveis de triglicérides?
    Triglicérides aumentados também podem aumentar o risco de doença cardiovascular, portanto pode ser necessário tratamento específico para sua redução nas seguintes situações:
    - Níveis extremamente altos de triglicérides (maior que 1.000 mg/dL);
    - Aumento combinado de LDL-colesterol e triglicérides;
    - Presença de doença cardiovascular (prevenção secundária);
    - Forte história familiar de doença cardiovascular;
    - Presença de outros fatores de risco cardiovascular.
    Como é feito o tratamento?
    Os níveis de lipídios (colesterol e triglicérides) no sangue podem ser reduzidos com o uso de modificações de estilo de vida, medicações e combinações dos dois. Em certos casos, o médico pode recomendar uma tentativa com mudanças dos hábitos de vida (cuidados com a alimentação, exercícios físicos, perda de peso) antes de resolver prescrever alguma medicação.
    Quais são as mudanças de estilo de vida que ajudam a controlar o colesterol?
    Todos os pacientes com níveis altos de colesterol total ou LDL-colesterol devem efetuar mudanças dos seus hábitos alimentares, principalmente diminuindo o consumo de gordura total e gorduras saturadas. Gorduras saturadas são aquelas que se tornam endurecidas à temperatura ambiente, e são encontradas principalmente em alimentos de origem animal (exemplo: carne, manteiga, leite, queijo), mas também podem ser encontradas em produtos vegetais como: óleo de coco, manteiga de cacau e margarina. O consumo de gorduras saturadas deve ser reduzido ao mínimo. O paciente deve dar preferência ao consumo de gorduras poli-insaturadas (óleos vegetias, óleo de milho, óleo de soja) ou mono-insaturadas (nozes, abacate, óleo de oliva). Em alimentos industrializados, o rótulo do produto traz informações sobre a sua quantidade de gordura saturada, mono-insaturada e poli-insaturada. Portanto, acostume-se a ler os rótulos!
    Algumas dicas para reduzir o consumo de gordura saturada estão na tabela abaixo:
    - Prefira alimentos com menos gordura total, gordura saturada e colesterol;
    - Dê preferência a carnes magras (frango, peixe ou carne bovina magra);
    - Retire a gordura visível da carne, frango e peixe antes de prepará-los; retire também a pele do frango e do peixe antes de consumi-los, pois a pele é rica em gordura;
    - Evite fritar os alimentos; prefira grelhar, assar, cozinhar ou refogar;
    - Limite a ingesta de gemas de ovos: no máximo 2 por semana;
    - Prefira leite e laticínios desnatados;
    - Opte por queijos brancos, com menor teor de gordura;
    - Evite embutidos;
    - Reduza alimentos ricos em gordura: maionese, manteiga, bacon, molhos cremosos (preparados com creme de leite), temperos de salada cremosos ou oleosos etc;
    - Use a menor quantidade possível de gordura para preparar os alimentos;
    - Coma vegetais frescos e frutas todos os dias;
    - Prefira alimentos preparados com grãos integrais: pão, biscoitos, arroz, massas integrais, pois os mesmos são ricos em fibras alimentares que ajudam a controlar os lipídios sangüíneos.
    A perda de peso, em pacientes que estão com sobrepeso ou obesidade, também ser útil, principalmente na redução dos triglicérides. Exercícios aeróbicos muitas vezes são auxiliares importantes do tratamento.
    Uma opção também é o uso de alguns produtos comerciais contendo um tipo de gorduras vegetais conhecido como fitostanóis, que estão presentes em margarinas e óleos vegetais especiais criados para atender às pessoas que precisam controlar seus níveis de lipídios no sangue. Tais produtos podem ser identificados na prateleira do supermercado pelas informações nos rótulos.
    Que mudanças de estilo de vida podem ajudar a controlar os triglicérides?
    Os passos mais importantes são: melhorar a alimentação, perder peso (em pessoas com obesidade ou sobrepeso), aumentar o nível de atividade física e diminuir ou interromper o consumo de álcool. Parar de fumar também é muito importante.
    Quanto à alimentação, é recomendável reduzir o consumo de calorias totais, através da restrição de gorduras e carboidratos (pães, massas, arroz, açúcar).
    Se o rótulo de um produto traz a informação de que o mesmo é “sem colesterol”, ou com “baixo teor de colesterol”, isso significa que o produto tem pouca gordura e seguro para consumo?
    Nem sempre. Vários alimentos vêm com a inscrição “sem colesterol” no rótulo e mesmo assim são ricos em gorduras saturadas.
    Para entender isso, lembre-se que o colesterol é uma gordura produzida apenas por animais. Portanto, alimentos de origem vegetal (óleos vegetais, margarina etc.) não têm colesterol porque os vegetais não possuem colesterol. Mesmo assim, alguns vegetais são ricos em outros tipos de gordura que podem ser perigosas se consumidas em excesso. Alguns produtos, apesar de não possuírem colesterol, podem ser fabricados com grandes quantidades de gordura saturada, e portanto devem ser evitados.
    A maneira mais segura de saber se um determinado produto é seguro ou não é lendo as informações nutricionais no rótulo. Ali devem estar discriminadas as quantidades de calorias, gorduras totais, gorduras saturadas e insaturadas.

    Quando usar medicações para controlar o colesterol?
    As medicações estão indicadas quando o paciente tiver níveis muito elevados de colesterol ou LDL-colesterol, ou quando tiver um aumento moderado mas os níveis não atingirem a meta desejada depois de algum tempo de cuidados com a dieta e exercícios físicos.
    Infelizmente, apenas a modificação da dieta não é capaz de controlar os níveis de colesterol na maioria dos pacientes. Quando a pessoa costuma ingerir quantidades grandes de gordura total ou saturada, a modificação da dieta consegue reduzir os níveis de LDL-colesterol em até 10 ou 20%. No entanto, na maioria dos casos a redução de LDL-colesterol obtida com a dieta isolada é da ordem de 5 a 8%.

  • Elson Reis
    15/10/2011 - 13:44

    Síndrome Metabólica
    O que é a Síndrome Metabólica?
    O termo “Síndrome Metabólica” descreve a associação de diversos problemas que aumentam a chance de uma pessoa desenvolver doenças cardíacas, derrame cerebral e diabetes. A causa exata da síndrome metabólica ainda não é conhecida, mas a carga genética (características herdadas da família), junto com o excesso de gordura no corpo e a falta de atividade física auxiliam no desenvolvimento dessa condição.
    O diagnóstico de síndrome metabólica é feito quando a pessoa apresenta 3 ou mais dos problemas abaixo:
    a) Gordura abdominal aumentada – cintura maior que 102 cm em homens ou maior que 88 cm em mulheres.
    b) Baixo colesterol HDL (“bom colesterol”) – nível menor que 40 em homens ou menor que 50 em mulheres.
    c) Triglicerídeos aumentados – nível de 150 ou mais.
    d) Hipertensão – pressão arterial maior que 135x85, ou uso de medicações para controlar a pressão.
    e) Aumento da glicemia (açúcar no sangue): nível de 110 ou mais em jejum.
    Possuir 3 ou mais desses fatores de risco é um sinal de que o corpo é resistente à ação da insulina, um importante hormônio produzido pelo pâncreas. A insulina tem várias ações importantes, sendo uma delas o controle dos níveis de glicose no sangue. Quando a insulina é produzida mas não consegue exercer seus efeitos adequadamente, surge a resistência à insulina – ou seja, mais insulina que o normal é necessária para manter o corpo funcionando e para controlar a glicemia.
    Que pessoas estão em risco de apresentar a síndrome metabólica?
    Uma em cada 5 pessoas, nos países desenvolvidos, é portadora da síndrome metabólica. A síndrome geralmente segue um padrão familiar. Isso quer dizer que, se alguma pessoa tem a síndrome, várias outras pessoas na sua família geralmente também são portadoras. É mais comum em negros, indígenas e orientais. Quanto mais velha a pessoa, também maior é sua chance de desenvolver a síndrome metabólica.
    Algumas pessoas têm um risco particularmente aumentado de apresentar a síndrome metabólica. As características que aumentam o risco da síndrome são:
    a) ganho de peso, especialmente no abdômen;
    b) história de diabetes;
    c) pressão alta;
    d) altos níveis de colesterol (gorduras) no sangue;
    e) sedentarismo (pouca atividade física).
    A maioria das pessoas que têm a síndrome metabólica sente-se perfeitamente saudáveis, e pode não apresentar quaisquer sintomas. No entanto, essas pessoas têm uma chance muito aumentada de desenvolver doenças sérias no futuro, tais como infarto do miocárdio, diabetes e derrame cerebral, e por isso devem ser tratadas.
    Como a síndrome metabólica deve ser tratada?
    Aumentar a atividade física diária e perder peso são as melhores maneiras de combater essa condição. Medicações também devem ser utilizadas para controlar os fatores de risco presentes, como hipertensão arterial (pressão alta) ou diabetes. (Leia mais sobre diabetes clicando aqui)
    Pessoas com risco de apresentar a síndrome metabólica devem procurar um médico, de preferência um especialista. O endocrinologista, especialista em hormônios e metabolismo, pode avaliar se a pessoa apresenta ou não a síndrome metabólica, e também recomendar o melhor tratamento.
    Como prevenir a síndrome metabólica?
    Um estilo de vida saudável, incluindo uma atividade física regular e uma alimentação equilibrada, bem como manter o peso corporal dentro do normal, são as melhores maneiras de prevenir e também de tratar essa condição. (Leia mais sobre obesidade e perda de peso clicando aqui)
    Ser portador da síndrome metabólica significa possuir um risco alto de diabetes, doenças cardíacas e derrame cerebral, e deve servir como um estímulo para as pessoas adotarem hábitos de vida mais saudáveis antes que as complicações apareçam.


  • Elson Reis
    15/10/2011 - 13:49

    Hemoglobina glicosilada

    A hemoglobina glicosilada, também chamada de hemoglobina glicada, hemoglobina A1c ou simplesmente, HbA1c, é um exame usado para avaliar o controle da glicemia nos pacientes já com o diagnóstico firmado de diabetes.

    A hemoglobina glicosilada é um exame extremamente útil, pois serve para avaliar o estado da glicemia nos últimos 3 meses. Quando dosamos a glicemia em jejum nos pacientes diabéticos o seu resultado indica apenas como está o controle do diabetes nas últimas horas. Por exemplo, um paciente passa os últimos 3 meses sem dieta e usando os medicamentos para o diabetes de modo irregular, mas 24-48 horas antes das análises resolve tomar os remédios de modo correto. Quando ele for dosar a glicemia em jejum é possível que esta se encontre dentro ou próximo da normalidade dando a falsa idéia de que seu diabetes está bem controlada. Porém, se a hemoglobina glicada também for dosada, esta estará claramente alterada, indicando que, na verdade, o diabetes não está sendo tratado como seria suposto.

    Mas como funciona a hemoglobina glicosilada?

    A hemoglobina é a principal proteína das nossas hemácias (glóbulos vermelhos). Quando a taxa de glicose no sangue encontra-se elevada, parte da hemoglobina começa a ligar-se à esse excesso de glicose circulante, transformando-se em hemoglobina glicosilada, ou seja, hemoglobina ligada a glicose. Como as hemácias tem uma vida de 3 a 4 meses, este é o tempo em que cada uma fica exposta a glicose no sangue, fazendo com que a hemoglobina glicada seja um espelho da glicemia média nos últimos 3 meses.

    Os valores normais de hemoglobina glicosilada, para pessoas sem diabetes, ficam entre 4% e 6%. Um diabetes bem controlado é aquele que apresenta valores abaixo de 7%. Níveis acima de 7% estão associados a um maior risco de complicações como doenças cardiovasculares, renais, dos nervos periféricos e dos olho.

    A partir dos valores da hemoglobina glicosilada é possível estimar a taxa média de glicose nos últimos 3 meses:

    HbA1c - Glicemia média (variação)
    5% - 97 (76–120)
    6% - 126 (100–152)
    7% - 154 (123–185)
    8% - 183 (147–217)
    9% - 212 (170–249)
    10% - 240 (193–282)
    11% - 269 (217–314)
    12% - 298 (240–347)

  • Elson Reis
    15/10/2011 - 13:55

    Perguntas Sobre Diabetes Mellitus Tipo 2
    Quem pode ter diabetes tipo 2?
    O diabetes mellitus tipo 2 pode afetar qualquer pessoa. Grupos com maior risco de desenvolver a doença são: pessoas com excesso de peso (sobrepeso ou obesidade); mulheres que tenham tido diabetes gestacional; pessoas com história familiar de diabetes tipo 2; pessoas com síndrome metabólica (Leia mais sobre síndrome metabólica clicando aqui). A idade é um fator que contribui para o surgimento de diabetes: quanto mais idosa a pessoa vai ficando, menor sua capacidade de metabolizar os açúcares e maior o risco de diabetes tipo 2.
    Quais são as causas do diabetes tipo 2?
    Embora seja bem mais comum do que o diabetes tipo 1, o tipo 2 é menos entendido. Provavelmente é causado por múltiplos fatores agindo em conjunto. Os fatores que podem contribuir para o surgimento de diabetes tipo 2 são os seguintes:
    a) Genética - geralmente o diabetes tipo 2 afeta vários membros de uma mesma família, e pessoas que vêm de famílias diabéticas têm maior chance de serem diabéticas;
    b) Resistência à insulina - antes do aparecimento do diabetes tipo 2, a maioria dos pacientes apresenta um defeito na ação biológica do hormônio natural insulina, ou seja, os pacientes precisam produzir mais insulina para fazer o mesmo efeito que ela faria em uma pessoa normal. Essa é uma anormalidade que pode estar presente vários anos e até décadas antes do surgimento do diabetes, e está intimamente relacionada ao excesso de peso e ao sedentarismo, bem como a fatores genéticos;
    c) Secreção anormal de insulina - Inicialmente, os pacientes produzem grandes quantidades de insulina para tentar compensar a resistência insulínica que eles apresentam. Com o passar dos anos, entretanto, o pâncreas parece entrar em exaustão e não consegue mais produzir insulina suficiente para controlar adequadamente os níveis de glicemia do indivíduo. É aí que a glicemia começa a se alterar e o diagnóstico de diabetes é feito. Geralmente os pacientes com diabetes tipo 2 apresentam os 2 defeitos: resistência à ação da insulina + defeitos na secreção de insulina.
    Quais são os sintomas?
    Os sintomas do diabetes tipo 2 variam muito de pessoa para pessoa, podendo ser muito discretos ou muito severos. Alguns sintomas típicos do diabetes incluem:
    - Sede excessiva;
    - Fome exagerada (especialmente após as refeições);
    - Boca seca;
    - Náuseas e vômitos;
    - Necessidade de urinar muitas vezes e em grande quantidade;
    - Cansaço e fraqueza importantes;
    - Visão borrada;
    - Adormecimento ou “formigamento” dos pés ou mãos;
    - Dificuldade de cicatrização;
    - Impotência sexual;
    - Infecções freqüentes da urina, pele ou vagina (candidíase vaginal).

    Pacientes com diabetes tipo 2 sempre apresentam sintomas?
    Uma boa parte dos pacientes com diabetes tipo 2 não apresenta qualquer sintoma da doença, principalmente no seu início, razão pela qual se estima que cerca de 50% das pessoas portadoras de diabetes tipo 2 não sabem que têm a doença.
    Isso é um dado desastroso, pois sem o tratamento adequado, tais indivíduos correm um risco muito alto de desenvolver as complicações tardias do diabetes, que vão desde problemas nos olhos (retinopatia, podendo evoluir até cegueira), nos rins (nefropatia, que é uma das mais importantes causas de insuficiência renal e que leva muitas pessoas à hemodiálise) e nos nervos (neuropatia, produzindo alterações da sensibilidade dos pés e eventualmente amputações nos membros inferiores) até complicações cardiovasculares, tais como o infarto de miocárdio e o derrame (acidente vascular cerebral).
    Como é feito o diagnóstico?
    Se houver suspeita de diabetes tipo 2, ou se a pessoa tiver algum fator que aumente seu risco de apresentar a doença, devem-se fazer alguns exames laboratoriais para avaliar a presença ou não do distúrbio.
    O principal exame a ser realizado é a glicemia de jejum. (Leia mais em “Diabetes - Sintomas”)
    É importante, em pessoas com risco de diabetes tipo 2, principalmente aqueles que estão acima do peso ideal, que sejam avaliados também os níveis de colesterol e triglicérides, que freqüentemente se encontram alterados.
    Em alguns casos, o paciente pode apresentar alterações típicas do diabetes durante um exame de vista de rotina, e assim fazer o diagnóstico de diabetes.
    Como é o tratamento do diabetes tipo 2?
    Muitas pessoas com diabetes tipo 2 têm vidas longas e saudáveis. A chave para manter a boa saúde é controlar o nível de açúcar (glicose) no sangue, para mantê-lo o mais próximo do normal possível. Só assim se pode evitar as complicações tardias do diabetes, freqüentemente sérias e incapacitantes.
    O controle da glicemia pode ser conseguido com um planejamento alimentar adequado, exercícios regulares e uso de medicações (comprimidos e/ou insulina). É importante também medir os níveis de glicemia regularmente, usando aparelhos e fitas de glicemia capilar.
    Leia mais sobre o tratamento do diabetes
    Quais são as complicações do diabetes tipo 2?
    Se os níveis de glicose não forem adequadamente controlados, o diabetes tipo 2 pode provocar uma série de problemas incômodos e potencialmente fatais. Felizmente, tais complicações podem ser prevenidas pelo tratamento correto e pela manutenção de níveis normais ou quase-normais de glicemia, bem como pelo adequado controle de outros problemas porventura existentes (pressão arterial, colesterol etc.).
    As principais complicações do diabetes 2 são as seguintes:
    a) Retinopatia - É uma doença da parte de trás dos olhos (as retinas), que pode já estar presente em pessoas com diabetes tipo 2 no momento do diagnóstico da doença. O controle adequado da glicemia, o manejo da hipertensão e a regulação dos lípides sangüíneos (colesterol e triglicérides) são importantes medidas na prevenção da retinopatia. Felizmente, a perda de visão não costuma ser importante ou incapacitante na maioria dos pacientes. Casos mais avançados de retinopatia diabética podem ser tratados com sessões de laser (fotocoagulação), para prevenir a piora da perda de visão. Todo paciente com diabetes tipo 2 deve fazer, desde o diagnóstico e uma vez por ano, um exame especial para avaliar o comprometimento da retina: é o chamado exame de fundo-de-olho, ou fundoscopia.
    b) Nefropatia - Cerca de 15 a 20% das pessoas com diabetes tipo 2 acaba desenvolvendo uma doença dos rins, chamada nefropatia diabética. O risco para doença renal aumenta com o passar do tempo e se torna mais importante após 15 a 25 anos de diabetes. Os rins passam a funcionar menos, podendo até chegar à falência completa - a chamada insuficiência renal, que em alguns casos obriga o paciente a fazer sessões de hemodiálise ou diálise peritoneal para substituir a função dos rins. Essa complicação também pode ser prevenida pelo controle glicêmico adequado e o tratamento correto da hipertensão arterial e do colesterol. Infelizmente, diabéticos com nefropatia apresentam um risco muito elevado de outras doenças sérias, como o infarto do miocárdio e a retinopatia. O primeiro sinal de nefropatia diabética, na maioria dos casos, é o aumento da perda de proteínas, principalmente a albumina, na urina. Por isso, pacientes com diabetes tipo 2, desde o início da doença, devem fazer todos os anos um exame que avalie a perda de albuminúria na urina, o que é feito com coleta de toda a urina produzida durante 12 ou 24 horas.
    c) Neuropatia - O diabetes pode afetar também os nervos, principalmente em extremidades do corpo como os pés e as mãos - uma complicação conhecida como neuropatia diabética. O dano aos nervos provoca alterações da sensibilidade, sendo que os pés e mãos podem tornar-se mais insensíveis (“dormentes”) e deixar de sentir calor, frio ou dor. Assim, o paciente com neuropatia pode machucar os pés e não sentir dor nenhuma, o que aumenta o risco de infecção, bolhas, calos, deformidades e até mesmo de amputação. Outros sintomas de neuropatia podem ser: dor em queimação nas plantas dos pés, principalmente à noite; formigamento, pontadas, cãibras nas pernas, etc. A neuropatia, assim como a nefropatia e a retinopatia, podem ser prevenidas pelo adequado controle da glicemia. Há várias medicações que podem aliviar os sintomas da neuropatia, uma vez que ela esteja instalada, tais como: a carbamazepina, a amitriptilina e a gabapentina.
    Além dos pés e mãos, outros órgãos também podem ser acometidos pela neuropatia, tais como: o trato digestivo (provocando náuseas, vômitos, diarréia e/ou má-digestão); o coração (levando a variações muito grandes da pressão arterial), e o sistema genito-urinário (podendo causar perda ou retenção de urina e impotência sexual).
    d) Má circulação - Os vasos sangüíneos de todo o corpo, principalmente as artérias, também podem ser afetados pelo diabetes tipo 1, levando a problemas de circulação principalmente nas extremidades (pés). Com isso, a cicatrização de feridas é muito comprometida. A má circulação, associada à perda de sensação dolorosa característica da neuropatia, leva ao aparecimento do chamado pé diabético - um pé frágil, com grandes chances de complicações sérias como: infecção, gangrena, necrose e amputação. O pé diabético é uma das maiores causas de amputações em membros inferiores (pés, pernas) na atualidade.
    e) Doenças cardiovasculares - A principal causa de morte em pacientes com diabetes tipo 2 consiste nas chamadas doenças cardiovasculares, que incluem: infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral (derrame) e insuficiência arterial periférica, uma importante causa de amputação de membros inferiores. O risco para doença cardiovascular já parece estar aumentado desde antes do aumento da glicemia, ou seja, antes do início do diabetes, na fase conhecida como pré-diabetes. Para evitar essas complicações devastadoras, é fundamental o controle rigoroso da glicemia, bem como de todas as anormalidades associadas ao diabetes tipo 2: hipertensão arterial, transtornos do colesterol, excesso de peso etc.
    Baseado em textos da WebMD Health -

  • rogerio
    24/11/2011 - 12:12

    tenho abajerú pra venda 10 reais a porção vendo pra todo lugar do brasil atraves do correio com custos para o comprador remedio muito eficiente no combate a diabetis colasterol alto blenorragia glicose alta etc etc etc meu tel (22) 97300339 rogerio

  • Jorge Ujia
    12/1/2012 - 21:11

    Gostaria que a Geuzete de Alagoas fizesse contato comigo, pois mandarei uns pacotes de Bajeru, que aqui no Rio é vendido em farmácias, Obrigado. Jorge

  • marco
    3/2/2012 - 08:05

    Estou iniciando o tratamento da diabetes, estou tomando medicamentos, orientado por um endocrinologista e iniciei o tratamento com o abajeru, e já me sinto mas tranquilo tenho visto melhora, mas e necessário tomar de forma controlada.

  • magali
    21/3/2012 - 11:16

    gostaria que me enviassem endereço aqui no Riode Janeiro zona sul, onde eu possa adquirir este produto, ou seja,chá de abajeru. Grata

  • mari clara i. rodrig
    21/3/2012 - 17:13

    Existe na flora in natura, muitas ervas silvestres. o pacote contém 20 gs.de abajrú como outras.A marca é ESTRELLA DA TERRA e pode ser encontrada em qualquer loja de produtos naturais. (não contém glúten). Essas folhas vem ressecadas, mas o efeito é exatamente igual as verdes e eu acho bem mais seguro, do que comprar a erva sem conhecer.MC.

  • fatima
    7/4/2012 - 00:36

    Encontrei a planta abajeru nas dunas de arraial em Cabo frio Rj.Arvore pequena rasteira o fruto é identico a uma azeitona roxa e tem sabor adocicado.Boa sorte a todos.Que Deus os abençoe.

  • Miguel Ramiro
    27/4/2012 - 10:45

    Eu devo esta fazendo alguma coisa errada, tenho tomado o cháde abajeru associado à glimeperida, tenho alimentação muito controlada e no entanto a minha glicose continua alta, entre 200 a 350. preciso de orientação.

  • angela
    17/5/2012 - 09:25

    bom dia.
    Estou muito preocupada,gostaria da sua ajuda estou tanto para o meu filho o chá de abajeru para o colesteral ele tem apenas 10 anos devo parar.

  • Marcelo
    4/7/2012 - 12:25

    PARA QUEM SE INTERSSAR, NAS LOJAS DE PRODUTOS NATURAIS, NORMALMENTE SE ACHAR AS FOLHAS DO ABAJERU RESECADAS VENDIDOS EM PACOTINHOS, DELAS FAZ-SE CHÁ, EU COMPRO NAS LOJAS MUNDO VERDE.

  • ademilde da silva me
    7/7/2012 - 01:33

    Gente!! o Abajerú é vendido aqui no Rio de Janeiro em farmácias em saquinhos no setor de ervas desidratadas ( aqueles compartimentos que ficam os saquinhos pendurados ) o valor dos saquinhos é R$ 2,00 (dois reais) Veja se na sua cidade tem

  • valdelice cunha alve
    14/2/2013 - 01:22

    necessitomuito das ervas. abajeru, e jMELAO, ONDE POSO ENCONTRAR,SINTO AS PERNAS PESADAS E ENCHADAS MAS POUQUINHO, A GLICOSE CHEGOU A 189DEUS ABENÇOE A TOOS OS POVOS DO MUNDO QUE NOSSO PODEROSO JESUS VAI CURAR TODOS NÓS EM NOME DE JESUS AMEM. TE. 21-26231955 R,JANEIRO SGONÇALO

  • jamolão
    28/2/2013 - 05:17

    os meus melhores cumprimentos
    eu desejo muito desta planta ,porque sou doente diabetico em cima da média e procura a cura desta maldita doença .não sei quem pode-me ajudar alcançar esta planta.
    Ecomo posso conseguir espero o email-obrigado
    Angola-luanda

  • rogerio
    6/3/2013 - 16:23

    tenho abajerú para vender entrego en qualquer lugar do brasil pelo pac tel(22)97300339 sandra ou rogerio

  • rogerio
    8/3/2013 - 10:10

    cuidado abajerú tem que ser original (22)97300339 rogerio

  • rogerio
    8/3/2013 - 10:11

    cuidado abajerú tem que ser original (22)97300339 rogerio

  • Fátima
    21/3/2013 - 16:04

    Como faço para adquir urgente essas folhas.

    grata.

    Fátima

  • Henrique
    23/3/2013 - 12:06

    Sobre o Abajeru:
    Gostaria de saber se existe ja na forma homeopatica e como poço adquirir.

  • miria
    7/5/2013 - 23:57

    Na verdade tem quase 3 meses que descobri quw estou com diabete a glicose cehgou a 246 fiquei um pouco tensa . Pra esta sendo muito chato ter que deixar de comer ....
    MAS JA ESTOU TOMANDO REMEDIO E FAZENDO DIETAS E COM ISSO TUDO AGORA ESOU COM 146. MAS ESTOU ANIMADA PRA UM NOVO COMEÇO DE UMA EDUCAÇÃO ALIMENTAR.

  • josiman
    25/5/2013 - 17:19

    ola boa terde .eu tenho diabete ha 4 anos .e aminha diabete ja chegou a 367 no mes pasado vir no jornal nacional uma reportagem sobre uma descoberta de cientistas brasileiros que tinha descobrto uma planta para a cura da diabete a planta e muito conhecida se chama jabuticaba air fiquei animado conseguir as folhas comesei a tomar o cha medi a clicose antes estava em 247 pois acredite hoje esta em 106 ate 99 estou muito feliz e vou contiuar tomando meu nome e josiman meu N 012 ( 82 72 16 03)

  • rogerio
    17/6/2013 - 21:37

    vendo abajerú para qualquer lugar do BRASILl entrego pelo pac 22 97300339 cabo frio

  • rogerio
    17/6/2013 - 21:38

    vendo abajerú para qualquer lugar do BRASILl entrego pelo pac 22 97300339 cabo frio

  • Renilton
    4/10/2013 - 14:58

    Sou médico, tenho vários casos de diabetes na família. Como a minha glicose, estava aumentando, chegando a 108 mg. Consegui o Abajeru gotas e iniciei com 20 gotas três vezes ao dia, este mês. No inicio de novembro vou fazer nova dosagem e confirmar ou não o efeito do medicamento, que parece funciona.
    Atenciosamente.

  • Antonio Lopes
    20/12/2013 - 13:13

    Boa tarde, para quem está precisando de chá de abarejú, vc encontra nas lojas do Mundo Verde, além de outros chás que também ajudam a baixar vários níveis que estejam altos no sangue.
    Boa sorte

  • MARIA ZELIA BELLOTI
    31/1/2014 - 15:38

    ESTA PLANTA FOI UM MILAGRE QUE APARECEU NA NATUREZA SUAS PROPRIEDADES SAO INFINITAS. JA CONSEGUI CURAR VARIAS PESSSOAS COM ELA.E BOM A GENTE PODER AJUDAR AS PESSOAS E PODER PROPORCIONAR UMA MELHOR CONDIÇAO DE VIDA JA QUE O GRUPO QUE CUIDA DA SAUDE ESTA TAO ESCASSO E NAO CONSEGUIMOS CHEGAR AOS MEDICOS TAO FACIL. OBRIGADO.

  • josefa afonso
    10/2/2014 - 14:02

    estou em angola minha irma tem diabetes onde posso comprar
    o cha de jamelao ou abareju






  • lucia
    10/3/2014 - 12:06

    meu marido fez uns exames a 01 mes atrás e a glicose deu 220, e o trigricelideos 271 tomou o chá de jamelão 01 mes a glicose reduziu para 140 e o trigricelideos 160, não tomou nenhum medicamento somente dieta e o chá, agradeço a Deus todos os dias, pois estava desesperada eu não acreditava mas ele tomou assim e deu resultado

  • aluizio pereira
    13/5/2014 - 18:19

    Produtos ERVAMEL,em domingos martins-es.Tem abajeru em gotas. Telef. 27-998221795 27-999936565.Vários produtos naturais com plantações própias.Veja no site.

  • damiana melo
    26/5/2014 - 22:30

    minha mae e meu irmao sao diabeticos , querem tomar abajeru mas nao sabem quantidades das folhas para o cha , se algum medico uo pessoas tem experiencias com essa erva me oriente por favor, preciso ajuda-los, pos nao aguento velos sofrer. me ajudem por favor.

  • Simone
    13/7/2014 - 19:09

    Mercadão de Madureira tem p vender. .. Mas encontra na praia principalmente em Cabo frio e região dos lagos

  • rogerio
    23/8/2014 - 11:06

    tenho abajerú para vender quantidade que dá para 4 ou 5 meses tel 22997990971 ou 22997300339 rogerio

  • Elaine
    25/8/2014 - 14:21

    Boa tarde, gostaria de saber se o chá de abajeru deve ser feito com as folhas secas ou se pode fazer com as folhas ainda verdes?

  • jorgehrique
    15/10/2014 - 13:58

    As folhas do abajeru sao otimas para diabetes.

  • jorgehrique
    15/10/2014 - 14:00

    As folhas do abajeru sao otimas para diabetes.

  • jorqe henrique
    18/10/2014 - 14:19

    Abi
    Abajeru sao diureticas alem de queimar o acucar no sangue e ba

  • jorge henrique
    18/10/2014 - 14:26

    O abajeru alem de baixar colestrtol ajuda no combate a diabetes .

  • jorqe henrique
    18/10/2014 - 14:27

    Abi
    Abajeru sao diureticas alem de queimar o acucar no sangue e ba

  • jorgehrique
    1/11/2014 - 20:18

    Estou pre diabetico tomo medicacao junto com a erva pata de vaca espero breve melhoras . Sei que vou conseguir pois acho que todos nao devem desistir da cura ,pois ela e possivel acreditem tudo e possivel ao que crer disse o mestre jesus amem .

  • jorge henrique
    1/11/2014 - 23:06

    Meu conselho tomem cha de pata de vaca abaixa o colesterol e queima a glicose no sangue e uma bencao eu assino em baixo . Aos interessados me escrevam para mim no imail acima ou no watsapp .

  • jorge henrique
    1/11/2014 - 23:07

    Meu conselho tomem cha de pata de vaca abaixa o colesterol e queima a glicose no sangue e uma bencao eu assino em baixo . Aos interessados me escrevam para mim no imail acima ou no watsapp .

  • Carlos
    17/12/2014 - 10:05

    Olá. Alguém sabe onde encontrar o Abajerú na cidade de São Paulo?

Cadastre seu comentário!

-1913 Usuários On-Line




Surgyplast


Novos Associados

Bem-vindos:

  • Gemerson - MA
  • Deyse - AM
  • Fabio - se
  • Maria - MS
  • Joubel - PR
  • Debora - PR
Noticias
  • Pesquisa
  • Associe-se
  • Fórum

Acompanhe nosso arquivo de conteúdo:

» « Dezembro - 2014
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031   

© Copyright 1997 - 2014 | e.Mix

As informações apresentadas a você pelo DiabeteNet contém informações gerais.
Nenhuma informação deve ser interpretada como tratamento, diagnósticos, conselhos médicos e não deve substituir a orientação do seu Médico.