Previna e combata doenças comendo

11/3/2010 - Clic RBS


Desde os anos 1980, o mundo vem se acostumando com o uso do termo alimentos funcionais. A descoberta, por cientistas japoneses, de que pessoas que incluíam determinados alimentos na dieta ficavam menos doentes do que outras mudou a relação de muitas pessoas com a comida.

A ciência já identificou muitos componentes capazes de prevenir doenças a longo prazo. Um exemplo de substância benéfica é o licopeno, encontrado no tomate. O consumo da substância está associado a um menor risco de câncer de próstata e doenças cardiovasculares.

Atualmente, as doenças crônicas que mais matam no Brasil são as do coração, o câncer e as decorrentes da obesidade, como diabetes e colesterol alto. Confira, a seguir, qual a dieta adequada para prevenir cada uma delas ou para adotar quando a doença já está instalada.

A dieta para cada enfermidade

CÂNCER
Uma alimentação saudável é capaz de prevenir o câncer. Porém, há alimentos que aumentam os riscos da doença, uma vez que fornecem o ambiente que uma célula  cancerosa precisa para crescer, revela o documento Alimentos, Nutrição e Prevenção de Câncer: Uma Perspec­tiva Global, do Fundo Mundial para Pesquisa em Câncer.

O que comer
Frutas, verduras, legumes e cereais integrais contêm vitaminas, fibras e outros componen­tes que auxiliam as defesas naturais do organismo a destruírem agentes carcinógenos antes que eles causem danos às células. Esses alimentos também podem bloquear ou reverter estágios iniciais de canceri­nogênese. Devem ser consumidos diariamente.

O que evitar

Alimentos ricos em gorduras, como frituras, carne vermelha, molho com maionese, bacon e embutidos (presunto, mortadela, salsicha e linguiça etc).
 Alimentos e bebidas com alta concentração de gordura e açúcar, como hambúrgueres, refrigerantes, sucos industrializados e biscoitos recheados, entre outros.
Alimentos defumados e churras­co, porque são impregnados pelo alcatrão proveniente da fumaça do carvão, o mesmo encontrado na fumaça do cigarro.
Alimentos que contêm agentes cancerígenos. Os nitritos e nitratos usados para conservar embutidos e alguns tipos de enlatados têm ação carcinogênica potente no estômago.

Reduza ainda mais os riscos

Não fume ou pare o quanto antes.
Seja o mais magro possível dentro dos seus limites normais. A manutenção de um peso saudável ao longo da vida é uma das formas mais importantes de se proteger contra o câncer.
Exercite-se. Qualquer atividade física protege contra o câncer e previne a obesidade, que está entre as causas de câncer. O ideal é começar caminhando 30 minutos todos os dias. À medida que o condicionamento físico melhora, é recomendável aumentar o tempo para até 60 minutos de exercícios em nível moderado ou 30 minutos em nível intenso todos os dias.
Prefira alimentos de origem vegetal. O ideal é con­sumir 400 gramas ao dia de pelo menos cinco hortaliças, legumes e frutas diferentes. Quanto mais colorido o prato, melhor. Consuma também cereais pouco processados, como arroz integral.

Limite o consumo de carne vermelha para 500 gramas por semana e evite carne processada. Alimentos de origem animal são nutritivos e saudáveis apenas se consumidos de forma moderada.
Limite o consumo de bebida alcoólica para dois drin­ques por dia para homens e um para mulheres. Quantidades moderadas de bebidas como vinho podem ser benéficas e reduzir o risco de doença cardíaca coronariana.
Evite alimentos muito salgados ou preservados em sal, como charque. Diminua a quantidade de sal na comida e evite alimentos industrializados com muito sal (sódio), como sopas, molhos e temperos prontos e salgadinhos.
O preparo dos alimentos também influencia no risco de câncer. Ao fritar, grelhar ou preparar carnes na brasa a temperaturas muito elevadas podem ser criados compostos que aumentam o risco de câncer de estômago e colo-retal. Por isso, métodos de cozimento que usam baixas tempe­raturas são escolhas mais saudáveis, como vapor, fervura, pochê, ensopado, guisado, cozido ou assado.


DIABETES

O diabetes é uma disfunção que ocorre quando há falta de in­sulina no sangue ou quando o organismo não reage adequada­mente a ela, causando aumento da taxa de glicose no sangue. A insulina é produzida pelo pâncreas e sua falta ou deficiência modifica a maneira como os alimentos são transformados em energia pelo corpo.

O que comer
Frutas e vegetais devem fazer parte do cardápio diário. Ricos em fibras, auxiliam o organismo na modulação da glicemia.
Carnes magras, cereais integrais e laticínios em versões com menos gordura.

O que evitar
Doces e alimentos prepa­rados com açúcar branco, como bolos e biscoitos, leite condensado e refrigerantes não dietéticos.
Alimentos fritos, carnes gor­das, óleo, manteiga e cremes.

HIPERTENSÃO
A hipertensão arterial é uma doença crônica que aumenta em sete vezes as chances de seu portador de desenvolver acidente vascular cerebral (AVC) e em três vezes os riscos de doenças do coração. Ocorre quando a pressão exercida pelo sangue em movimento na parede das artérias é muito forte. Uma pessoa é considerada hipertensa quando sua pressão arterial máxima fica em 14 ou mais e a mínima igual ou maior a 9.

O que comer
Frutas e vegetais.
Alimentos ricos em fibras, como cereais integrais.

O que evitar
Sal. Uma colher de chá deve ser suficien­te para a alimentação de um dia. Na comida, substitua o sal por temperos como limão, cebola e alho.
Gordura de origem animal. Prefira os óleos vegetais, como o de oliva.
Bebidas alcoólicas. Apesar de promove­rem relaxamento, pequenas doses elevam a pressão sanguínea.


COLESTEROL ALTO
O colesterol é uma substância semelhante à gordura. Está pre­sente nos alimentos e é produzido pelo fígado. O colesterol bom (HDL) ajuda a eliminar o ruim (LDL). O colesterol ruim entope as artérias e aumenta os riscos de infarto.

O que comer
Frutas e vegetais.
Alimentos ricos em fibras, como farelo de aveia, cevada, centeio e trigo.
Peixes ricos em ácidos gra­xos ômega-3, como sardinha, atum, salmão, cavala, arenque e anchova, entre outros.
Azeite de oliva, rico em gordura monoinsaturada.
Soja.

O que evitar
Alimentos ricos em gorduras, como manteiga, maionese, leite integral e queijos amarelos.
Embutidos como linguiça, copa, salame, presunto, salsicha e outros derivados da carne de porco como lombinho e torresmo.Doces.
Alimentos muito salgados ou conservados em sal.

A Comunidade DiabeteNet.Com.Br tem como finalidade informar e interagir com os seus usuários. Antes de qualquer decisão ou atitude, é indispensavel a discussão sobre os pontos aqui abordados juntamente com médicos de sua confiança.

Dê sua opinião sobre este conteúdo

Nuvem de tags deste conteúdo

Comentários sobre este conteúdo

  • eliana
    29/12/2010 - 16:31

    gostaria de saber o que pode e o que não pode comer quem tem diabete e colesterol.

Cadastre seu comentário!

276 Usuários On-Line




Surgyplast


Novos Associados

Bem-vindos:

  • Ana - MG
  • Raimundo - AM
  • Airton - PI
  • Josué - SP
  • Perpétua - RJ
  • Raimundo - AM
Noticias
  • Pesquisa
  • Associe-se
  • Fórum