Os vilões da infância - Diabetes, Vida e Comunidade

Os vilões da infância

10/04/2010 - O Povo Online


Enxaqueca, taquicardia, hipertensão, diabetes, doenças mais comuns entre os adultos, estão se tornando frequentes nas crianças. Entre os vilões da infância saudável estão o fator emocional e a obesidade. Para o pediatra Elivaldo Sampaio Almeida, a situação é preocupante. ``A criança saudável vai ser um adulto saudável. Se a criança for doente ou tiver propensão a estas doenças, ela vai refletir isso de forma mais severa na vida adulta``, adverte.

Na opinião dele, a maioria destas doenças tem fundo emocional e influência de uma alimentação desregrada ou da própria obesidade. ``No caso das taquicardias, a gente se depara com causas puramente emocionais, devido à separação de pais ou porque as crianças presenciam as brigas``, exemplifica. Além disso, ele afirma que a própria hipertensão tem sido ocasionada por problemas emocionais que a criança tem vivenciado.

Já a pediatra do Hospital Infantil Albert Sabin, Regina Portela, presidente da Sociedade Cearense de Pediatria (Socep), afirma que a maior causadora de patologias do adulto - como diabetes tipo 2, hipertensão e colesterol alto & em crianças é a obesidade. De acordo com ela, de 20% a 30% da população de crianças e adolescentes já apresenta distúrbios nutricionais que vão desde o simples sobrepeso até a obesidade. Deste universo, 8% já apresenta algum aumento na glicemia (taxa de açúcar no sangue) e 30% a 35% tem aumento do colesterol.

Além dessas doenças, a obesidade pode causar ainda asma, apneia do sono, problemas nos ossos, além de baixa autoestima, depressão e nervosismo na criança e no adolescente.

Erro alimentar
Conforme ela explica, é comum a mãe já chegar ao consultório citando a obesidade da criança. A partir daí, o pediatra começa a investigação se existe erro alimentar, fator genético e se a criança é sedentária. ``Em seguida, são verificadas taxas de glicemia, colesterol, triglicérides. Quando alguma coisa está alterada, é preciso mudar completamente a alimentação, a rotina e praticar exercício físico adequado à idade. ``Se só com a dieta os níveis não resolveram, aí sim essa criança começa a ser acompanhada pelo especialista: cardiologista ou endocrinologista``.

Conforme Regina, estudos mostram que uma dieta inadequada na infância antecipa em 20 anos doenças do adulto. Por isso, ela informa que dos 5 aos 19 anos de idade, a criança e o adolescente precisam fazer uma consulta de rotina ao ano, estando doente, ou não, conforme preconiza a Sociedade Brasileira de Pediatria. ``O objetivo dessas consultas é obter um diagnóstico precoce. Se você implementa logo uma dieta correta, você evita que desencadeie doenças relacionadas à obesidade``, explica.

Por isso, Elivaldo orienta as famílias a acompanhar de perto a dieta das crianças, evitando comidas gordurosas e frituras de um modo geral. ``Carne vermelha é importante, porque é rica em ferro, mas dê apenas duas vezes na semana. Quanto aos biscoitos, toda criança gosta. Então deixa pra ela comer um pouquinho só no fim de semana. Procure não entupir a geladeira de besteira``, orienta. (Lucinthya Gomes)


DICIONÁRIO

Diabetes tipo 2
> É a forma mais comum da doença. A causa parece ser a ação da resistência à insulina aliada a uma secreção de insulina insuficiente. Os portadores da diabetes tipo 2 geralmente têm mais de 35 anos, estão acima do peso e têm histórico familiar de diabetes tratada com dieta e medicamentos.

> Mas a incidência da diabetes tipo 2 na infância está cada vez mais frequente, o que torna menos confiável o diagnóstico automático de diabetes tipo 1 em crianças diabéticas. Existe uma crença popular equivocada, sugerindo que a ingestão de açúcar e o ganho de peso causam a diabetes tipo 2. Esses fatores realmente aumentam a probabilidade do desenvolvimento da doença, porém não são os únicos.

Hipertensão
> A pressão alta afeta aproximadamente mais de um bilhão de pessoas em todo o mundo. Quanto maior sua pressão arterial, maior o risco de infarto, insuficiência cardíaca, derrame e doenças nos rins.

> Se o sangue encontra qualquer resistência enquanto circula por seus vasos sanguíneos, ele faz mais força contra as paredes de suas artérias, aumentando a pressão arterial e fazendo com que seu coração tenha de bater ainda mais forte.

> E é por isso que a pressão alta é um fator de risco para doenças cardíacas e derrame. Ela também aumenta o risco de desenvolver problemas nos rins, olhos e sistema nervoso.

Arritmia
> É também considerada uma forma de doença cardíaca. Um coração doente pode começar a bater muito rápido (taquicardia) e, em casos extremos, pode evitar que o sangue se mova corretamente para as câmaras do coração.

SOBRE A OBESIDADE INFANTIL
> A obesidade infantil é um sério problema de saúde. Ela pode conduzir a vários tipos de problemas, de doenças no coração e problemas nos ossos a trauma psicológico e social.

> Sinais de alerta: obesidade na família; histórico familiar de doenças precoces do coração, diabetes tipo 2, pressão alta ou colesterol alto; aparecimento precoce de fatores de risco como doença cardíaca ou diabetes tipo 2; problemas nos ossos.

Consequências
> Diabetes tipo 2: Pode levar à cegueira, provocar doenças do coração e rins, danos no sistema nervoso e perda de membros.

> Asma: Estudos indicam que a obesidade pode provocar asma em crianças levando ao maior uso de medicamentos.

> Pressão alta: Crianças e adolescentes com excesso de peso e obesidade estão mais propensas a ter pressão alta do que outras crianças.

> Apneia do sono: uma doença que leva a pausas no ritmo respiratório ao dormir.

> Problemas nos ossos: Quanto mais você pesa, maior é a pressão em seus ossos para suportá-lo.

> Problemas de saúde mental: baixa autoestima, depressão, nervosismo e outros.

> Obesidade em adultos: Adolescentes obesos e com excesso de peso têm grande risco de se tornarem adultos obesos.


DICAS

1. Toda mudança de comportamento deve ser gradual. Tentar mudar tudo radicalmente pode ser frustrante;

2. Falar de emagrecimento não ajuda. A melhor estratégia é falar de saúde;

3. É importante dar preferência a alimentos saudáveis e de baixas calorias em todos os lanches e refeições;

4. As guloseimas podem e devem fazer parte da rotina da família, mas usá-las como recompensa ou proibi-las como castigo não é boa ideia: faz com que sejam mais desejadas;

5. O número de horas em frente à TV e ao computador está relacionado com o excesso de peso. Tirar os aparelhos dos quartos ajuda a limitar o uso;

6. Praticar atividades físicas em conjunto é uma ótima estratégia para melhorar a saúde e o relacionamento entre os familiares.
A Comunidade DiabeteNet.Com.Br tem como finalidade informar e interagir com os seus usuários. Antes de qualquer decisão ou atitude, é indispensavel a discussão sobre os pontos aqui abordados juntamente com médicos de sua confiança.

Dê sua opinião sobre este conteúdo

Nuvem de tags deste conteúdo

Comentários sobre este conteúdo

  • ana maria
    24/04/2012 - 23:51

    minha filha tem :7anos,é magra pesa:19.2. mas está com o colesterol alto, dores no peito,falta de ar e teve um quadro infesso no sangue:bastonetes:7,00%

Cadastre seu comentário!


Surgyplast


Noticias
  • Pesquisa
  • Associe-se
  • Fórum

Acompanhe nosso arquivo de conteúdo:

» « Novembro - 2017
D S T Q Q S S
   1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

© Copyright 1997-2017 - e.Mix

As informações apresentadas a você pelo DiabeteNet contém informações gerais.
Nenhuma informação deve ser interpretada como tratamento, diagnósticos, conselhos médicos e não deve substituir a orientação do seu Médico.