Solange Aparecida - Diabetes, Vida e Comunidade

Solange Aparecida

20/07/2001 - DiabeteNet.Com.Br


Solange, 38 anos.

Fui diabética durante 25 anos. Aos 9 anos de idade foi descoberta a doença , a partir dos sintomas de fome ,cansaço ,sede ,poliuria e tontura .Quando feito o exame a glicemia acusou 780 mg , fui internada e ai começou toda a rotina de um diabético.

Estava no segundo semestre do terceiro ano primário ,minhas notas decaíram porém consegui passar de ano. Nunca repeti, mas daí em diante sempre tive um pouco mais de dificuldade no estudo.Sentia muito desanimo . Não gostava de esportes. Levei o regime a risca durante 2 anos,onde na minha pré- adolescência comecei a abusar comendo doces e tomando refrigerantes sempre as escondidas. Sentia muita vergonha de revelar a doença ,porém , se me perguntassem eu não negava, embora me sentia muito constrangida.

Aos 8 anos manifestei astigmatismo e miopia . Com 15 anos de diabetes eu engravidei. Sem saber,eu estava com anemia profunda ,vermes e infecção urinaria . A gestação durou apenas 5 meses; no quinto mês perdi o bebe e fui parar na U.T.I. com 790 mg de glicemia.Fiquei 40 dias com o bebe morto , não podia fazer uma cesaria pois em função da anemia não podia perder sangue e também não podia induzir parto pôr estar com insuficiência respiratória, caso fosse feito corria o risco de uma parada cardíaca. Com 40 dias após o falecimento do bebe meu organismo expeliu o feto que correspondeu a um parto normal.

No segundo mês da gestação minha visão começou a enfraquecer . Aos poucos fui perdendo , embora tenha feito varias aplicações de laser e uma vitrectomia ,no prazo de 2 anos perdi pôr completo . Daí em diante tinha crises de hipo e hiperglicemia , mesmo seguindo o regime e fazendo uso da medicação corretamente .Fui parar no hospital 2 vezes em pré coma com hipoglicemia .

Com 24 anos de diabetes descobri a insuficiência renal ,onde fui levada novamente para a U.T.I. , quando recebi a noticia de que precisaria fazer dialise. Me revoltei e recusei o tratamento , fiquei 5 meses relutando par iniciar o tratamento . Cheguei ao hospital com anemia profunda , estava a 26 dias com hemorragia. Fiquei internada 1 mês fazendo todos os exames e procedimentos necessários no preparo do pré-transplante .

Enquanto internada fazia hemodiálise , quando sai do hospital comecei a fazer C.A.P.D. , porém , só foi possível durante 4 meses ,tive 2 peritonites e não pude mais fazer C.A.P.D. . Fiquei 7 meses deslizando . Nos 2 últimos meses complicou mais ainda deslizar ,pois minhas veias estavam trombosando e quase não era mais possível passar o catéter , já havia sido feito duas tentativas de fistula mas não deu certo .

Não tive neuropatia nem problema cardíaco .

Já estava quase sem resistência para fazer o transplante mas tinha muita vontade de me curar. Finalmente em janeiro de 1997 foi realizado o meu transplante. Quando acordei naU.T.I. apos a cirurgia , a minha vontade era de sair correndo e pulando de tão bem que me sentia . Recordo-me que a primeira coisa que disse foi “como é bom ter um pâncreas funcionando perfeitamente”.Fiquei 5 dias na U.T.I. , sendo que 2 dias após a cirurgia precisei voltar ao centro cirúrgico para sanar um pequeno problema ocorrido no rim.

Fiquei 37 dias internada e durante esse tempo todo eu ouvia os médicos dizendo “a cada dia que seus exames estão melhores”. Tive um pouco de depressão a principio a qual acredito que tenha sido causado pelo uso dos imunossupressores , pelo fato de ter sido uma pessoa sempre alegre e difícil de entregar os pontos.

Atualmente com 4 anos de transplante posso dizer que houve algumas internações ( infecção urinaria ) , e mesmo que com o transplante não tenha sido possível recuperar a visão, não importa , o que importa é que este transplante me trouxe uma nova vida me permitindo trabalhar ,estudar e até mesmo desfruta de lazer o que até então não éra possível. E o que me deixou muito satisfeita foi a tranqüilidade proporcionada a minha família .


A Comunidade DiabeteNet.Com.Br tem como finalidade informar e interagir com os seus usuários. Antes de qualquer decisão ou atitude, é indispensavel a discussão sobre os pontos aqui abordados juntamente com médicos de sua confiança.

Dê sua opinião sobre este conteúdo

Comentários sobre este conteúdo

  • arlete duarte
    24/02/2009 - 14:50

    Em 1991,após um stress muito gde.,com perda de peso,fui detectada com diabetesII .Passei a tomar remedio,mas como não fui bem orientada,vivia uma vida quase normal,comia de tudo e por causa da minha profissão, não fazia exercicios.Em 95 mudei-me p/ Foz do Iguaçu,mas sofria com as temperaturas muito altas ou baixas,comecei a sentir angina.Após exames,ficou constadado 2 arterias importantes,c/90% e 80% de bloqueio.Pela graça de DEUS,consegui vaga na Santa Casa de SP,pelas mãos do falecido e saudoso DR,EMILIO ATHIÊ,pirajuense de coração.Fui operada por uma equipe maravilhosa ,há 12 anos,mas continuo lutando com a diabetes e com seus efeitos colaterais.Hoje faço pós-operatório no Inst. DANTE PAZZANESE.Deixo aos colegas de lutacontra essa doença terrivel, um conselho ,não pense q. uma pilula vai resover seu problema,se vc.,não sentir firmeza ou despreparo no seu médico,procure outro,até vc, sentir q. ele está realmente interessado no seu problema ,pois quem vai pagar os resultados È VOCÊ!QUE DEUS ABENÇOE A TODOD Q. LEREM ESTE TESTEMUNHO.SÓ ESTOU VIVA PELA MISECORDIA DIVINA.

  • Luciana
    01/04/2011 - 17:26

    MEU MARIDO SOFRE COM A DIABETES

  • Luciana
    01/04/2011 - 17:42

    Meu marido está sofrendo com a diabetes que o acompanha desde os 19 anos, hoje ele está com 40. Ele acabou de passar por uma vitrectomia no olho direito e o resultado, por enquanto, não foi nada bom.Apareceu uma hemorragia 1 dia depois da cirurgia, o médico diz que ele deve ter tido algum pico na glicemia, agora é esperar uns dias pra ver se o organismo absorve esse sangue senão terá que passar por outra cirurgia pra remover esse sangue que, segundo o médico, é o que o está impedindo de enxergar. Espero em Deus que seja só isso mesmo, pois, ele já está todo desanimado, dizendo que não vai mais enxergar e por consequencia, acha que não vai mais poder voltar a trabalhar.A glicemia dele tá muito instável, ora tá alta, outra hora tá muito baixa.Mas, vamos seguindo aqui, esperando em Deus que ele melhore, e com esse depoimentos incríveis, de pessoas vencedoras, eu fico mais esperançosa de que um dia meu marido vai vencer essa luta tbém! Bjo a todos e fiquem com Deus!!

  • Luciana
    01/04/2011 - 17:42

    Meu marido está sofrendo com a diabetes que o acompanha desde os 19 anos, hoje ele está com 40. Ele acabou de passar por uma vitrectomia no olho direito e o resultado, por enquanto, não foi nada bom.Apareceu uma hemorragia 1 dia depois da cirurgia, o médico diz que ele deve ter tido algum pico na glicemia, agora é esperar uns dias pra ver se o organismo absorve esse sangue senão terá que passar por outra cirurgia pra remover esse sangue que, segundo o médico, é o que o está impedindo de enxergar. Espero em Deus que seja só isso mesmo, pois, ele já está todo desanimado, dizendo que não vai mais enxergar e por consequencia, acha que não vai mais poder voltar a trabalhar.A glicemia dele tá muito instável, ora tá alta, outra hora tá muito baixa.Mas, vamos seguindo aqui, esperando em Deus que ele melhore, e com esse depoimentos incríveis, de pessoas vencedoras, eu fico mais esperançosa de que um dia meu marido vai vencer essa luta tbém! Bjo a todos e fiquem com Deus!!

  • 22121982
    20/11/2012 - 02:27


    Meu marido, tem 29 anos e é diabetico, nos descobrimos a doença quando tinha 21 anos, atualmente ele tem tido varias crises de hipoglicemia, onde,vamos parar no pronto atendimento. Leio todos estes comentários incríveis.Gostaria de saber como faço para ter mais acesso a informações sobre transplantes, por onde começar,com quem conversar.
    Obrigada...

  • lucilia
    20/11/2012 - 02:32

    Meu marido, tem 29 anos,é diabético desde os 21 anos, atualmente ele tem tido várias crises de hipoglicemia, onde vamos, para no pronto atendimento. Leio todos estes comentários incríveis sobre pacientes que foram transplantados e foram curados e vivem uma vida normal.
    Gostaria de saber como faço para ter mais acesso a informações sobre transplantes, com quem conversar.
    Desde já agradeço.

Cadastre seu comentário!


Surgyplast


Depoimentos
  • Pesquisa
  • Associe-se
  • Fórum

Acompanhe nosso arquivo de conteúdo:

» « Novembro - 2017
D S T Q Q S S
   1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

© Copyright 1997-2017 - e.Mix

As informações apresentadas a você pelo DiabeteNet contém informações gerais.
Nenhuma informação deve ser interpretada como tratamento, diagnósticos, conselhos médicos e não deve substituir a orientação do seu Médico.