Portugal: Clínico recomenda consultas anuais após os 40 anos - Diabetes, Vida e Comunidade

Portugal: Clínico recomenda consultas anuais após os 40 anos

07/08/2011 - odiario.com


O governo promove campanhas, os filhos e as mulheres insistem e os amigos mais descolados incentivam. Mesmo assim, ele não vai ao médico. Muitos homens, ao contrário de Orlando Lisboa Almeida, ainda resistem em procurar ajuda médica, seja para fazer um simples check-up ou quando as dores indicam algum problema de saúde. Vários deles chegam a ter calafrios só de ouvir falar em exames preventivos contra o câncer de próstata, por exemplo.

Esse fato contribui para uma triste estatística: segundo o Ministério da Saúde, os homens vivem em média sete anos menos do que as mulheres. Para que homens possam viver mais é essencial que percam de vez o medo e o receio de buscar ajuda médica.

Segundo o médico Jamal Fares, clínico geral, especialista em Metabologia, é a partir dos 40 anos que se deve criar o hábito de fazer, pelo menos uma vez ao ano, um check-up para afastar suspeitas de doenças ou identificá-las ainda em estágio inicial. Se há histórico na família de determinados tipos de doenças, recomenda-se que procure um médico antes desta idade. "Não tem uma idade exata, mas pedimos que, quando há fator de risco na família, como casos de hipertensão, diabete, hiperplasia de próstata ou histórico de câncer, o homem faça o check-up antes dos 40 anos", afirma Fares.

De acordo com ele, o check-up contempla uma série de exames, incluindo hemogramas para conferir a taxa de colesterol e identificar o diabete e a anemia, além da medição da pressão e dos batimentos cardíacos, entre outros.

Depois dos 40 anos, os homens devem visitar o urologista, especialista capaz de detectar e tratar cânceres, como o da próstata, testículos e pênis, além de outras doenças e disfunções. O clínico geral diz que as doenças que mais acometem os homens são o diabete, a hipertensão, o câncer de próstata, os relacionados à andropausa e as alterações no colesterol, chamadas de dislipidemias. O curioso é que 60% dos casos de dislipidemias, segundo o médico, são detectados em homens magros, aparentemente saudáveis. "Os magros, pensando que são saudáveis, se permitem comer mais frituras e levar uma vida sedentária, mas também apresentam problemas de saúde como os obesos".

Manter uma alimentação adequada e praticar esportes são atitudes essenciais para que o homem continue com a saúde em dia. "Se ele tem bons hábitos alimentares e faz atividades físicas não tem porque ter doenças crônicas, a não ser que haja predisposição genética".

Histórico familiar
Dependendo do histórico familiar, o homem pode, mesmo levando uma vida saudável, ser portador de doenças crônicas. O médico cita como exemplo a dislipidemia familiar, que obriga os pacientes a tomar remédios para controlar os índices de colesterol.

Segundo Fares, as chamadas pré-diabetes também costumam acometer o público masculino mais velho. "Normalmente ele já tem um antecedente familiar. A glicose alterada entre 100 e 126 mg/dl já aponta uma tendência ao diabete. Por isso, é tão importante reavaliar os hábitos, aderir à prática de atividade física, controlar a alimentação e evitar o tabagismo e o etilismo".

A Comunidade DiabeteNet.Com.Br tem como finalidade informar e interagir com os seus usuários. Antes de qualquer decisão ou atitude, é indispensavel a discussão sobre os pontos aqui abordados juntamente com médicos de sua confiança.

Dê sua opinião sobre este conteúdo

Nuvem de tags deste conteúdo

Comentários sobre este conteúdo

Seja o primeiro a comentar este conteúdo!

Cadastre seu comentário!


Surgyplast


Noticias
  • Pesquisa
  • Associe-se
  • Fórum

Acompanhe nosso arquivo de conteúdo:

» « Novembro - 2017
D S T Q Q S S
   1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

© Copyright 1997-2017 - e.Mix

As informações apresentadas a você pelo DiabeteNet contém informações gerais.
Nenhuma informação deve ser interpretada como tratamento, diagnósticos, conselhos médicos e não deve substituir a orientação do seu Médico.