Depressão e diabetes

18/7/2013 - JM Online


Diabetes pode levar à depressão, e a depressão, pode também levar ao diabetes. A hiperglicemia, característica da doença diabetes, atinge de forma significativa os indivíduos, exigindo alterações importantes em seus estilos de vida. Pacientes com diabetes necessitam modificar hábitos alimentares e aderir a esquemas terapêuticos restritivos, tais como aplicações regulares de insulina e monitorização glicêmica diária. Estes pacientes devem lidar com o fato de ter que conviver durante toda a vida com uma doença que é responsável por complicações clínicas prejudiciais à saúde, o que repercute no estado de humor dos pacientes diabéticos. 

Segundo pesquisas, as mulheres diabéticas têm maior chance de apresentar um quadro depressivo e, com isso, maiores complicações na doença.

Estudos demonstraram que pessoas não diabéticas, com crises depressivas, têm maiores chances de desenvolver diabetes mellitus 2, visto que, na maioria dos casos, os indivíduos depressivos apresentam sobrepeso, consomem mais calorias, exercitam-se menos e, na maioria das vezes, são fumantes. Assim, o sedentarismo aumenta a chance de o indivíduo desenvolver uma síndrome metabólica, que fará com que desencadeie o diabetes 2. Em contrapartida, indivíduos diabéticos apresentam uma grande probabilidade de desenvolver um quadro depressivo.

A depressão ocasionada pelo diabetes tende a se desenvolver ao longo dos anos o que pode ser compreendido pelo fato de a doença ser crônica. É compreensível que o indivíduo, ao descobrir que é diabético, fique triste, aborrecido, frustrado e mal-humorado. O problema é que a depressão pode interferir no tratamento. Sabe-se já, que 20% a 30% dos diabéticos desenvolvem depressão. A origem fisiológica ou psicológica ainda não é esclarecida. Um diabético confuso e angustiado pode não ser capaz de aderir ao tratamento, como manter uma dieta adequada, praticar atividades físicas regularmente e, principalmente, fazer uso da medicação, quando necessário, ou seja, cuidar das várias responsabilidades exigidas para manter os níveis de açúcar do sangue sob controle, correndo o risco de manifestar complicações clínicas severas como doenças cardíacas, dificuldades de ereção e falta de libido, neuropatia, nefropatia e retinopatia diabética,  uma das maiores causas de cegueira da atualidade.

Sendo assim, é muito importante ficar alerta aos sintomas, pois quanto antes a depressão for diagnosticada, maiores serão as chances de tratamento, seja ele psicoterápico ou medicamentoso. Os sintomas de depressão no diabetes podem confundir-se com alguns sintomas do próprio diabetes.  Importante é não esperar a piora.

A Comunidade DiabeteNet.Com.Br tem como finalidade informar e interagir com os seus usuários. Antes de qualquer decisão ou atitude, é indispensavel a discussão sobre os pontos aqui abordados juntamente com médicos de sua confiança.

Dê sua opinião sobre este conteúdo

Nuvem de tags deste conteúdo

Comentários sobre este conteúdo

  • miranda
    29/7/2013 - 10:24

    Bomd ia, gostei do artigo, pois a diabetes realmente exige cuidados, assim, temos que nos adaptar, mas a depressão (face a esta doença), é compreensivel e tratada (se acreditando que nada é por acaso), tentando fazer do limão, uma limonada. Devemos também pensar que nos policiar e nos cuidar é bom, o corpo e a alma agradecem. Beijos a todos e que Deus nos abençoe sempre. Boa semana.
    PS: gostaria de que fosse providenciado um abaixo assinado, para que tenhamos "boas medicações". principalmente a insulina Lantrus, pelo governo, é nosso direito.

Cadastre seu comentário!

248 Usuários On-Line




Surgyplast


Novos Associados

Bem-vindos:

  • Ivone - SP
  • Janaina - RJ
  • Delfa - DF
  • Nelson - MG
  • Eloisa - SP
  • Emmanoel - CE
Noticias
  • Pesquisa
  • Associe-se
  • Fórum

Acompanhe nosso arquivo de conteúdo:

» « Abril - 2014
D S T Q Q S S
  12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930