Mas preciso mesmo tomar insulina? - Diabetes, Vida e Comunidade

Mas preciso mesmo tomar insulina?

05/06/2015 - Cruzeiro do Sul


Muitos pacientes ficam bastante preocupados quando o médico prescreve insulina para tratar o diabetes e então imaginam que ficarão "viciados", ou melhor, dependentes ou que as coisas estão ficando muito complicadas por que quando um parente ou conhecido precisou usá-la já estava numa fase de complicações.

Na realidade, a insulina é um hormônio produzido no pâncreas pelo próprio organismo que também a armazena para ser liberada quando nos alimentamos. A sua falta ou a falta da sua ação caracteriza o aparecimento do diabetes - por isso a indicação de usá-la nessa doença.

Quando acontece isso?

As situações são diversas. No diabetes do tipo 1, que acontece principalmente na infância e na juventude, o tratamento sempre ocorre com insulina, o paciente não pode ficar sem ela no dia a dia e em algumas circunstâncias tem que aplicá-la várias vezes em curto período de tempo. Neste caso, a insulina é essencial para o seu tratamento.

Já no diabetes do tipo 2, que acontece na fase adulta ou na terceira idade, nem sempre o uso da insulina é o tratamento de escolha. Muitos pacientes conseguem controlar muito bem o diabetes apenas com dieta, exercício e medicação oral. No entanto, em alguns momentos pode ser necessário que se acrescente a insulina, quando se tem uma infecção muito importante ou quando a medicação oral não faz o efeito adequado, ou quando se tem diabetes há muito tempo.

Na realidade, o uso da insulina tem por objetivo manter os níveis de glicemia nos melhores padrões possíveis para que não aconteçam as complicações decorrentes do diabetes.

Quando o médico prescreve insulina alguns cuidados devem ser tomados e as indicações bem compreendidas: a dosagem, geralmente prescrita em unidades; o horário em que se deve tomá-la; se existe relação com as refeições ou não; como usar quando se faz exercícios e se aparece uma infecção quais devem ser os cuidados.

Além disso, existem insulinas diferentes. Algumas têm ação rápida e devem ser usadas mais de uma vez por dia na maior parte dos pacientes e geralmente têm relação com a alimentação. No entanto, a insulina comumente utilizada é a de ação mais longa que permite a utilização apenas uma vez ao dia.

O paciente aplica a insulina sempre no tecido subcutâneo e em lugares diferentes cada vez. Existem diferentes maneiras de aplicar a insulina subcutânea, com a utilização de seringas, canetas ou dispositivos de aplicação contínua.

O maior cuidado que se deve ter em cada aplicação diz respeito às doses, porque quando menores do que o necessário não acontece o controle adequado do diabetes ou se a dose for maior do que a receitada irá desencadear hipoglicemia e o paciente pode apresentar sudorese fria, dor de cabeça, passar mal.

O importante é que o uso adequado da insulina muitas vezes é o melhor que se pode fazer para ter uma vida sem complicações, vale a pena fazer o esforço para usá-la quando necessário.

José Otávio Alquezar Gozzano é clínico e endocrinologista, professor da Faculdade de Medicina da PUC em Sorocaba

A Comunidade DiabeteNet.Com.Br tem como finalidade informar e interagir com os seus usuários. Antes de qualquer decisão ou atitude, é indispensavel a discussão sobre os pontos aqui abordados juntamente com médicos de sua confiança.

Dê sua opinião sobre este conteúdo

Nuvem de tags deste conteúdo

Comentários sobre este conteúdo

Seja o primeiro a comentar este conteúdo!

Cadastre seu comentário!


Surgyplast


Noticias
  • Pesquisa
  • Associe-se
  • Fórum

Acompanhe nosso arquivo de conteúdo:

» « Novembro - 2017
D S T Q Q S S
   1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

© Copyright 1997-2017 - e.Mix

As informações apresentadas a você pelo DiabeteNet contém informações gerais.
Nenhuma informação deve ser interpretada como tratamento, diagnósticos, conselhos médicos e não deve substituir a orientação do seu Médico.